Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/1822/3252

TítuloTeixeira de Pascoaes e Miguel de Unamuno: um caso singular de intercâmbio literário
AutorGarcia, Jorge Domingues
OrientadorAlves, Manuel dos Santos, 1938-
Data22-Mai-2005
ResumoO presente estudo teve como propósito demonstrar as afinidades literárias entre Teixeira de Pascoaes e Miguel de Unamuno. Ao invés daquele impulso moderno que visa moldar as mentes com dogmas e convenções, o saudosista português e o agonista espanhol seguem pelos trilhos da liberdade intelectual, impregnada de espiritualidade. Para a exposição dessas similitudes literárias, servimo-nos da generalidade da obra dos autores, das peças epistolares que trocaram, da obra plástica de Pascoaes e de alguns livros de Nietzsche, naquilo que este pensador lhes delegou de inconformismo. Considerando que as afinidades literárias entre ambos se devem não só a influências evidentes, mas também à Weltanschauung ou mundividência da época, procedeu-se, num primeiro passo deste trabalho, a um estudo sobre a recepção de Nietzsche em Pascoaes e Unamuno, tendo em conta que o pensador alemão foi uma das figuras de destaque na chamada «filosofia do sujeito», em voga naquele contexto cultural e literário. Estava aberto o caminho para o segundo capítulo, durante o qual se analisou o sentimento “poético-religioso” nos dois autores, marcado pela metafísica e pela heterodoxia. Em sintonia com a lição nietzscheana, preferem a inquietação do absurdo e as fulgurações da imaginação à ilusória segurança da lógica e da convenção social. De seguida, pretendeu-se demonstrar a tendência de Pascoaes para polemizar e duvidar, para pôr em diálogo o sistema de contradições, bem à maneira do espírito agónico de Dom Miguel de Unamuno. No quarto capítulo, foi efectuado um estudo de Jesus e Pã, da autoria do poeta do Marão, por se tratar de uma composição poética que ilustra as linhas comuns a Unamuno. Desse estudo, destaca-se a presença da agonia unamuniana, expressa no binómio cristianismo-paganismo e, por sua vez, a influência de Jesus e Pã em La Agonía del Cristianismo, de Dom Miguel. Aborda-se o papel da natureza e da «filosofia do sujeito», bem como a importância da tradição cultural e da noção de castiço nas suas obras. No quinto capítulo, tentou-se demonstrar como Pascoaes e Unamuno fazem a apologia de um iberismo espiritual, enquanto princípio necessário para a recuperação da debilitada península. Para terminar este trabalho, e na linha da espiritualidade que brota das suas obras, apresenta-se um estudo da poética visual e da concepção plástica do discurso nos poetas ibéricos, consubstanciada numa visão da arte como “cosa mentale”.
TipomasterThesis
DescriçãoDissertação de Mestrado em Teoria da Literatura e Literatura Portuguesa.
URIhttp://hdl.handle.net/1822/3252
AcessoopenAccess
Aparece nas coleções:BUM - Dissertações de Mestrado

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
MESTRADO JAN. 2005.pdf2,68 MBAdobe PDFVer/Abrir
Resumo da Tese.pdf76,7 kBAdobe PDFVer/Abrir

Partilhe no FacebookPartilhe no TwitterPartilhe no DeliciousPartilhe no LinkedInPartilhe no DiggAdicionar ao Google BookmarksPartilhe no MySpacePartilhe no Orkut
Exporte no formato BibTex mendeley Exporte no formato Endnote Adicione ao seu Currículo DeGóis