Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/1822/32389

TitleHorários de trabalho por turnos : da avaliação dos efeitos às possibilidades de intervenção
Other titlesShiftwork schedules : from effect’s evaluation to intervention possibilities
Author(s)Silva, Isabel Maria Soares da
Prata, Joana Sofia Ribeiro
Ferreira, Ana Isabel Macedo Alves
KeywordsTrabalho por turnos
Efeitos do trabalho por turnos
Intervenções no trabalho por turnos
Horários de trabalho
Saúde ocupacional
Shiftwork
Shiftwork effects
Shiftwork intervention
Working hours
Occupational health
Issue dateJun-2014
PublisherRicot (working Conditions Research Network)
JournalInternational journal on working conditions
Abstract(s)Ancorado numa investigação mais alargada sobre os efeitos do trabalho por turnos, o presente trabalho propõe-se contribuir para a discussão de possibilidades de intervenção nesta problemática, considerando especialmente o papel do contexto organizacional. Tal discussão é feita a partir da referência a três estudos realizados em empresas industriais, nos quais, foram avaliados alguns dos efeitos tipicamente associados ao trabalho por turnos na saúde, vida familiar e social e avaliação da satisfação com o próprio turno de trabalho. No conjunto das três empresas estiveram envolvidos 859 trabalhadores/as por turnos. Os dados foram recolhidos através de questionário, integrando este escalas publicadas na literatura ou desenvolvidas pela equipa de investigação. As análises de correlações efetuadas indicaram uma associação estatisticamente significativa e no sentido esperado entre a perceção do suporte do contexto organizacional e os efeitos avaliados. Especificamente, tal associação oscilou entre -.19 com os “problemas de sono” e .47 com a interface com a “vida fora da empresa”. Além da relevância das práticas de gestão que podem ser usadas pelas organizações, são apresentadas/discutidas outras possibilidades de intervenção. Em ambos os casos, o enfoque permanece no suporte que pode ser proporcionado pelo contexto organizacional na promoção da adaptação a esta modalidade horária de trabalho.
Anchored on a wider research on the shiftwork effects, this study aims to contribute to the discussion of intervention possibilities in this issue considering, in particular, the role of the organizational context. This discussion is made with reference to three studies conducted in industrial companies which assessed some of the effects that are typically associated with shiftwork: effects on health, family and social life and satisfaction with the work shift. In the three companies 859 shift workers were involved. Data were gathered from a survey (the scales used in the survey included scales published in the literature and other developed by the research team). The correlation analysis indicated a statistically significant association between the perception of organizational support and the assessed effects. This association varied between -.19 with “sleep problems” and .47 with the interface with “life outside the company”. Beyond the relevance of management practices that can be used by organizations, other possibilities of intervention are presented/discussed. In both cases, the focus remains on the support that may be provided by the organizational context by promoting the adaptation to this work schedule.
Typearticle
URIhttp://hdl.handle.net/1822/32389
ISSN2182-9535
Publisher versionhttp://ricot.com.pt/PT/jornal.php?subop=8&search=&language=PT
Peer-Reviewedyes
AccessopenAccess
Appears in Collections:CIPsi - Artigos (Papers)

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Silva, Prata & Ferreira (2014)_Trabalho por turnos_IJWC.pdf551,5 kBAdobe PDFView/Open

Partilhe no FacebookPartilhe no TwitterPartilhe no DeliciousPartilhe no LinkedInPartilhe no DiggAdicionar ao Google BookmarksPartilhe no MySpacePartilhe no Orkut
Exporte no formato BibTex mendeley Exporte no formato Endnote Adicione ao seu Currículo DeGóis