Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/1822/29146

Title"Tem é de ser de mim" : novas tecnologias, riscos e oportunidades na perspetiva das crianças
Author(s)Monteiro, Ana Francisca
Advisor(s)Osório, António José
Issue date13-Jan-2014
Abstract(s)Partindo do pressuposto de que as crianças são agentes sociais ativos que constroem as suas próprias culturas, esta pesquisa pretendeu compreender as suas perspetivas acerca do papel que as novas tecnologias, em particular a internet, têm nas suas vidas. Tomou ainda como vertentes específicas as oportunidades, riscos e desafios de segurança que o uso de tecnologias digitais pode ou não representar, a partir do ponto de vista das crianças e da dimensão social do fenómeno tecnológico, ou seja, da forma como desenvolvimento tecnológico e práticas sociais se inter-relacionam e co-constroem. Assim, este trabalho retrata as culturas ‘digitais’ que as crianças estão a construir e as reinterpretações que fazem dos conceitos de oportunidade, risco e segurança, focando como este tipo de experiências são vividas quotidianamente, no contexto das estruturas socioculturais em que estão integradas. Com base numa abordagem etnográfica, este estudo mostra como as crianças desenvolvem sentidos de pertença e identidade através da apropriação de novas tecnologias. Competitividade e colaboração nos jogos, troca de comentários em fotos publicadas no Facebook e comunicação constante através de mensagens de telemóvel são práticas com grande peso social, fazendo destas tecnologias instrumentos centrais de integração entre pares. Risco constitui-se como subtópico de uma categoria mais ampla, relativa aos problemas que as crianças encontram através do uso de tecnologias digitais. Não obstante algumas preocupações relacionadas com segurança, ganham destaque os problemas relativos à aceitação social e reputação. Por outro lado, constituem desafios de segurança a ambiguidade com que conceitos como estranho ou vício foram considerados e a imagem estereotipada que prevalece sobre o risco. Esta pesquisa acentua ainda uma preocupante cultura de estigmatização e culpabilização das crianças envolvidas em experiências de risco. Oportunidade surgiu como um conceito vazio. A partir destes resultados, este trabalho realça como as medidas destinadas a beneficiar ou proteger as crianças online podem ser excessivamente prescritivas e estigmatizantes. Defende-se assim uma abordagem mais situada destas temáticas, capaz de valorizar as culturas das crianças e considerar as circunstâncias e contextos socioculturais em que as suas experiências digitais ocorrem e ganham sentido.
Assuming that children are active social agents who construct their own cultures, this research seeks to understand their perspective on the role new technologies, particularly the internet, have in their lives. Moreover, it aims to understand the opportunities, risks and safety challenges the use of digital technologies may represent, from children’s point of view. Thus, this investigation focuses on children’s lived experiences of using digital media and the specific sociocultural contexts in which these occur, aiming to understand the 'digital' cultures children are building and the reinterpretations of opportunity, risk and safety that emerge within. Therefore, it considers how technology and social practices co-construct each other. Using an ethnographic approach, this study shows how children use online social networks, games and mobile phones to form a sense of belonging and identity, namely through the exchange of comments on Facebook photos, a combination of competitiveness and collaboration in social games as well as text messaging. Risk is considered a sub-topic of a wider category concerning the problems children encounter through their use of digital media. In spite of their awareness of safety issues, issues related to social acceptance, reputation, and social commitments are of greater concern. Moreover, concepts of safety are challenged by the ambiguousness of concepts like stranger and addiction as well as stereotyped images of risk. This research also highlights a disturbing culture of blame and stigmatization of children involved in experiences of risk. Opportunity stands as a meaningless concept. Regarding these results, this study supports the claim that measures aiming to benefit or protect children online can be over-prescriptive and stigmatizing. A case is made for more contextualized approaches, respectful of children’s perspectives and everyday lives, as well as social and cultural contexts.
TypeDoctoral thesis
DescriptionTese de doutoramento em Estudos da Criança (área de especialização em Tecnologias de Informação e Comunicação)
URIhttp://hdl.handle.net/1822/29146
AccessOpen access
Appears in Collections:BUM - Teses de Doutoramento
CIEd - Teses de Doutoramento em Educação / PhD Theses in Education

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Tese.pdf3,69 MBAdobe PDFView/Open
Anexos.zip5,39 MBUnknownView/Open

Partilhe no FacebookPartilhe no TwitterPartilhe no DeliciousPartilhe no LinkedInPartilhe no DiggAdicionar ao Google BookmarksPartilhe no MySpacePartilhe no Orkut
Exporte no formato BibTex mendeley Exporte no formato Endnote Adicione ao seu ORCID