Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/1822/28000

TitleSerá a taxa de crescimento económico um bom indicador de uma futura crise da dívida externa?
Author(s)Gonçalves, Joel Duarte da Silva
Advisor(s)Veiga, Francisco José
Thompson, Maria João Ribeiro
KeywordsCrise da dívida
Dívida externa
Default
Crescimento económico
Debt crisis
Foreign debt
Economic growth
Issue date2013
Abstract(s)Quais os fatores podem precipitar uma crise da dívida externa? Será que existe algum indicador, ou algum conjunto de indicadores, capazes de antecipar a ocorrência de uma crise da dívida com precisão? Apesar de estas situações não serem exclusivas da atualidade, nas últimas décadas surgiram inúmeras investigações sobre as mais variadas questões relativas às crises da dívida externa, nomeadamente os motivos que fazem despoletar uma crise e os seus principais indicadores. Um desses potenciais indicadores é a taxa de crescimento económico, cuja relação com as crises é particularmente interessante. Existe uma certa relação de efeito-causa entre uma crise da dívida e a taxa de crescimento económico de um país, se por um lado é verdade que uma crise provoca um decréscimo acentuado na taxa de crescimento económico também é verdade que um fraco crescimento económico pode, em tese, potenciar o surgimento de uma crise da dívida externa. O presente estudo procura averiguar se a taxa de crescimento económico será um bom indicador de uma futura crise da dívida externa. Com um painel constituído por 184 países membros do FMI com uma componente temporal entre 1975 e 2011, foi estimado um modelo Logit para a probabilidade de ocorrer uma situação de crise da dívida tendo por base um conjunto de variáveis económicas, entre as quais a taxa de crescimento económico. Os resultados obtidos sugerem que no geral a taxa de crescimento económico é de facto um bom indicador de uma futura crise da dívida externa, contudo não é o único bom indicador. Existe evidência de outras variáveis, como por exemplo a dívida de um país, que também detêm uma excelente capacidade de previsão de uma futura crise da dívida.
What are the factors that can precipitate an external debt crisis? Is there any indicator, or some set of indicators, that are able to anticipate the occurrence of a debt crisis with precision? Despite the fact that these situations are not exclusive of today, in the last decades several investigations emerged on various issues relating to external debt crises, including the events that may trigger a crisis and its key indicators. One of these potential indicators is the economic growth rate, whose relationship with debt crises is particularly interesting. There is a certain cause-effect relationship between a debt crisis and the economic growth rate of a country. On the one hand it is true that a debt crisis causes a sharp decrease in the economic growth rate. But, on the other hand, it is also true that poor economic growth may, in theory, increase the chances that an external debt crisis will occur. This study seeks to ascertain whether the economic growth rate will be a good indicator of a future external debt crisis. With a panel made up of 184 member countries of the IMF with a temporal component between 1975 and 2011, a Logit model was estimated for the probability that a debt crisis occurs, based on a set of economic variables, among which the economic growth rate. The results suggest that, overall, the economic growth rate is indeed a good indicator of a future external debt crisis, however, it isn’t the only good indicator. There is also evidence that there are other variables, such as the country’s debt, that also have a good capacity to predict a future debt crisis.
TypeMaster thesis
DescriptionDissertação de mestrado em Economia Monetária, Bancária e Financeira
URIhttp://hdl.handle.net/1822/28000
AccessOpen access
Appears in Collections:BUM - Dissertações de Mestrado

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Joel Duarte da Silva Gonçalves.pdf1,88 MBAdobe PDFView/Open

Partilhe no FacebookPartilhe no TwitterPartilhe no DeliciousPartilhe no LinkedInPartilhe no DiggAdicionar ao Google BookmarksPartilhe no MySpacePartilhe no Orkut
Exporte no formato BibTex mendeley Exporte no formato Endnote Adicione ao seu ORCID