Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/1822/27745

TitleO fa(r)do de ser mulher no meio rural angolano. Identidade de género e tradição cultural
Author(s)Silva, Eugénio Alves da
KeywordsIgualdade de género
Ritos iniciáticos
Tradição
Submissão feminina
Prisão psiquíca
Gender equality
Initiation rituals
Tradition
Female submission
Psychic prison
Issue date2012
PublisherUniversidade Estadual de Londrina (UEL)
JournalNguzu : Revista do Núcleo de Estudos Afro-Asiáticos da Uel
Abstract(s)No meio rural angola predomina uma cultura tradicional, com as suas práticas socializadoras tendentes à preservação da identidade cultural. A socialização de crianças, em particular das meninas, faz-se no contexto da tradição , apoiada em ritos iniciáticos e fundada na discriminação da mulher, cujo destino fica traçado: ser dona de casa sujeita às lógicas de dominação masculina. Por isso, neste meio, é preparada desde cedo para os papéis tradicionalmente femininos, sendo-lhe vedada participação em atividades ou contextos considerados próprios dos homens. Com este texto pretende-se problematizar a influência da tradição cultural na socialização comunitária no meio rural angolano onde, apesar da ação educativa da escola oficial, prevalece o preconceito da superioridade masculina o qual condiciona a construção social do género e arreda a mulher para um lugar secundário na comunidade.
In the rural Angolan context predominates a traditional culture, with their socializing practices for the preservation of the cultural identity: the socialization of children, particularly girls, is made in the context of tradition, supported by initiation rites and based on discrimination of women whose fate is mapped out: be a housewife, subject to the logic of men domination. Therefore, in this context she is early prepared for the traditional female roles and she is prohibited from participating in activities or contexts specifically considered inherent to the men. With this paper we intend to discuss the influence of cultural tradition in the socialization in the Angolan rural community where, despite the work of the official school, there is the prejudice of male superiority which affects the social construction of gender and refers the woman to a secondary place in the community.
TypeArticle
URIhttp://hdl.handle.net/1822/27745
ISSN2238-0639
Peer-Reviewedyes
AccessOpen access
Appears in Collections:CIEd - Artigos em revistas científicas internacionais com arbitragem

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
REVISTA NGUZU.pdf9,76 MBAdobe PDFView/Open

Partilhe no FacebookPartilhe no TwitterPartilhe no DeliciousPartilhe no LinkedInPartilhe no DiggAdicionar ao Google BookmarksPartilhe no MySpacePartilhe no Orkut
Exporte no formato BibTex mendeley Exporte no formato Endnote Adicione ao seu ORCID