Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/1822/2695

TitleO património reencontrado - Centro Histórico de Guimarães, património da humanidade : a cidade enquanto memória, espaço de identidade e cidadania
Author(s)Carneiro, Alice Maria Pinto de Azevedo
Advisor(s)Durand, Jean-Yves
Issue date2004
Abstract(s)A requalificação urbana e posterior classificação de Património da Humanidade observadas no centro histórico de Guimarães valorizaram de forma significativa a área da cidade que permanecia mais degradada, fruto de um abandono que gradualmente deixou “esquecido” um conjunto notável de edifícios de habitação, ruas, praças e monumentos cujo valor reside acima de tudo na autenticidade, integridade e unidade da linguagem construtiva do seu tecido urbano, de origem medieval. Fruto de preocupações reafirmadas por directivas internacionais que impõem a todos a necessidade de defender o património artístico, histórico e arquitectónico, o poder político local desenvolveu ao longo de quinze anos um plano de intervenção urbanística que impediu a continuação de práticas demolidoras, reabilitou espaços públicos e privados, construiu de novo quando necessário, alargou a noção de património. São preocupações que produziram nas últimas décadas um interminável número de reflexões teóricas que reafirmam o interesse que as questões relacionadas com o património e o passado assumiram nas sociedades contemporâneas: o entusiasmo por deslocações a centros históricos, por exemplo, tem a ver com uma ideia generalizada de que as cidades antigas mantêm raízes e valores quando tudo à volta se descaracteriza, perdendo continuidade com o passado; inventar património tornou-se um objectivo do poderpolítico pela forma como o passado pode fornecer recursos materiais e simbólicos quealimentam a industria do turismo e legitimam protagonismos e hierarquias. A pesquisa antropológica efectuada procurou relacionar requalificação e classificação de Património da Humanidade com o tecido humano da área intra-muros de Guimarães, trabalho de observação e análise que registou novas configurações sociais resultantes da transformação do espaço físico: casos de gentrificação, abandono por parte da população mais jovem e desertificação, sectorização e desinteresse pelo comércio tradicional, pressão turística, perda de privacidade. A afirmação do valor histórico, artístico e patrimonial do centro histórico criou, no entanto, momentos, rotinas e formas de apropriação do espaço urbano que compuseram percursos identitários, ligaram a comunidade e legitimaram laços sociais, resultando dessa relação melhorada entre património construído e social uma imagem mais coerente de cidade. A genuína estima que muitos afirmaram sentir pelo espaço onde moram ou trabalham foi interpretado como sinal de que o passado, quando resultado de uma activação patrimonial, pode dar mais sentido ao presente.
The urban requalification and the inscription of the historic centre of Guimarães on the World Heritage List enhanced the worth, in a significant way, of the area of the city that was most dilapidated. This dilapidation was the result of a gradual neglect that resulted in this remarkable group of buildings, streets, squares and monuments being totally overlooked. Its worth resides, above all, in its authenticity, integrity and harmony of construction of the medieval origin urban plan. As a result of International laws that impose the need to protect our artistic, historical and architectural heritage, the local political authority has developed, in the last fifteen years, an urban intervention plan that stopped the pulling down of buildings, rehabilitated public and private areas, rebuilt when necessary and broadened the concept of heritage. In the last decades, these issues shaped a never-ending stream of theoretical reflections, which reiterated the significance that the past and patrimony related concerns had in contemporary societies. This new enthusiasm for visiting historic centres, for example, arises from the notion that old towns keep their roots and values, while everything around them loses its character, its link with the past; to make up architectural heritage has become a goal for the political authority exactly because the past can provide material and symbolical resources that feed the tourist industry and legitimise protagonisms and hierarchies. This anthropological research endeavoured to correlate the urban requalification and the inscription of the historic centre of Guimarães on the World Heritage List with the human factor within the wall area of Guimarães. It was done through observation and analysis, which registered new social arrangements that resulted from the changes in the geographical area: cases of gentrification, desertion of the area by the younger generation and desertification, sectionalism and loss of interest for the local shops, tourist pressure and loss of privacy. The avowal of the historical, artistic and patrimonial value of the historic centre created, however, moments, routines and ways of appropriating the urban area that designed identity itineraries, united the community and legitimised social bonds. This improved relationship between built and social heritage, resulted in a more coherent image of the city. The genuine affection that many people say they feel for the area where they live or work was seen as a sign that the past, when it is a result of a heritage initiative, can give more meaning to the present.
TypeMaster thesis
DescriptionDissertação de mestrado em Antropologia
URIhttp://hdl.handle.net/1822/2695
AccessOpen access
Appears in Collections:BUM - Dissertações de Mestrado
NEA - Dissertações de Mestrado

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Tese de Mestrado impressa alice.pdf1,47 MBAdobe PDFView/Open

Partilhe no FacebookPartilhe no TwitterPartilhe no DeliciousPartilhe no LinkedInPartilhe no DiggAdicionar ao Google BookmarksPartilhe no MySpacePartilhe no Orkut
Exporte no formato BibTex mendeley Exporte no formato Endnote Adicione ao seu ORCID