Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/1822/26911

TitlePsychophysiological response to non-distressed infant cry: men sexual orientation and attachment
Other titlesResposta psicofisiológica ao choro não stressante do bebé: orientação sexual e dimensões da vinculação
Author(s)Braga, Bonifácia Maria Pereira
Advisor(s)Figueiredo, Bárbara
KeywordsResposta psicofisiológicas
Choros de bebés
Orientação sexual
Dimensões da vinculação
Ansiedade
Psychophysiological response
Infant cries
Sexual orientation
Attachment dimensions
Anxiety
Issue date2013
Abstract(s)A ativação psicofisiológica ao choro de bebés embora independente do género (Groh & Roisman, 2009), está associada ao estatuto paternal (Gottman and Levenson, 1988) e a fatores psicológicos (Wood & Gustafson, 2001). Objetivos: avaliar se a orientação sexual está associada à resposta psicofisiológica a choros não-stressantes de bebés e quais as caraterísticas sociodemográficas e psicológicas que podem estar associadas a esta resposta. Método: aplicamos o paradigma psicofisiológico a 52 homens não-pais, 27 homossexuais e 25 heterossexuais, para medir a reatividade psicológica a e fisiológica aos choros. A reatividade fisiológica (HR e RSA) foi medida utilizando o sistema VU-AMS. Aplicamos o questionário ECR para medir as dimensões da vinculação, STAI-S para medir a ansiedade e um questionário para recolher as características sociodemográficas. Resultados: obtivemos dois clusters de reatividade psicofisiológica, “Ativado” e “Desativado”. No cluster “Ativado” foi registado aumento HR e diminuição RSA, no “Desativado, diminuição HR e aumento RSA. Não foi encontrada associação entre os clusters e orientação sexual mas a dimensão da Ansiedade na vinculação mostrou ser melhor preditor para o cluster “Ativado”. Conclusão: a resposta psicofisiológica de homens não pais a choros de bebés não é predita pela orientação sexual, contudo, está altamente relacionada com dimensões psicológicas e relacionais.
Psychophysiological arousal to infant cry appears to be independent of gender (Groh & Roisman, 2009). However, different patterns of reactivity are related to parental status (e.g. Gottman and Levenson, 1988) and psychological factors (Wood & Gustafson, 2001). Objectives: examine if sexual orientation is associated with psychophysiological response to infant cry stimulus, and explore men socio-demographic and psychological factors that may be associated to psychophysiological response to the same stimulus. Method: a psychophysiological paradigm was applied to 27 homosexual and 25 heterosexual selfidentified men to assess psychological and physiological reactivity to infant non-distressed cries. Physiological activity (HR and RSA) was assessed by Stimuli paradigm, recorded using VU-AMS system. Attachment dimensions were measured with ECR and anxiety level with STAI-S. A questionnaire was used to collect socio-demographic characteristics. Results: Two groups of psychophysiological reactivity were identified: “Activated” and “Deactivated”. Participants on “Activated” cluster shown increase HR and RSA withdrawal, on “Deactivated” cluster revealed HR decrease and RSA increase. Although no association was found between clusters and sexual orientation, Anxious Attachment scale provided the best predictor of Activated clusters. Conclusion: psychophysiological non-fathers response to infant non-distressed cries isn’t predicted by sexual orientation but is highly related to psychological and relational dimensions.
TypeMaster thesis
DescriptionDissertação de mestrado integrado em Psicologia (área de especialização em Psicologia Clínica e da Saúde)
URIhttp://hdl.handle.net/1822/26911
AccessOpen access
Appears in Collections:BUM - Dissertações de Mestrado
CIPsi - Dissertações de Mestrado

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Bonifácia Maria Pereira Braga.pdf1,87 MBAdobe PDFView/Open

Partilhe no FacebookPartilhe no TwitterPartilhe no DeliciousPartilhe no LinkedInPartilhe no DiggAdicionar ao Google BookmarksPartilhe no MySpacePartilhe no Orkut
Exporte no formato BibTex mendeley Exporte no formato Endnote Adicione ao seu ORCID