Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/1822/26779

TitleDistorções de base segura em crianças institucionalizadas: o papel do temperamento e da psicopatologia
Author(s)Vieira, Ana Cristina Sousa
Advisor(s)Soares, Isabel
KeywordsDistorções de base segura
Institucionalização
Temperamento
Psicopatologia
Secure base distortions
Institutionalization
Temperament
Psychopathology
Issue date2013
Abstract(s)Este estudo teve como objetivo explorar o papel do temperamento e da psicopatologia nas distorções de base segura, nas crianças institucionalizadas com idade pré-escolar. Possui uma amostra composta por 85 crianças institucionalizadas, com idades compreendidas entre os 36 e os 75 meses, tendo em média 53.67 meses, sendo que 50 (58.1%) são do sexo masculino. A avaliação foi realizadas através da aplicação de um questionário sociodemográfico, de uma entrevista semiestruturada feita à cuidadora, Disturbances of Attachment Interview (Smyke & Zeanah, 1999), para a exploração da presença de sinais de comportamentos perturbados de vinculação na criança, nomeadamente as distorções de base segura. As cuidadoras, para além de responderem a esta entrevista, preenchiam o Children’s Behavior Questionnaire (Rothbart, 2000) para avaliação do temperamento da criança e o Child Behavior Checklist (CBCL) for Ages 1½-5 de T. M. Achenbach & L. A. Rescorla (2000) ou ao Child Behavior Checklist (CBCL) for Ages 6-18 (CBCL) de T. M. Achenbach (2001), conforme as idades das crianças, para avaliar o indicador geral de sintomatologia psicopatológica. Os resultados indicaram que o tempo de institucionalização está associado positivamente às distorções de base segura, rs=0.26, p<0.05, assim como o indicador geral de sintomatologia psicopatológica rs=0.37, p<0.001. Relativamente ao temperamento não foram encontrados resultados significativos. Os resultados mostram que crianças com mais tempo de institucionalização e com um maior indicador geral de sintomatologia psicopatológica tem mais distorções de base segura, sendo este ultimo o melhor preditor.
This study aimed to explore the role of temperament and psychopathology in secure base distortions in institutionalized children in preschool age. It has a sample of 85 institutionalized children, aged between 36 and 75 months, with an average 53.67 months, and 50 (58.1 %) are male. The asssement was performed by applying a demographic questionnaire and a semistructured interview to the caretaker, Disturbances of Attachment Interview (Smyke & Zeanah, 1999), for the exploration of signs of attachment disordered behaviors in children, including secure base distortions. The caregivers, in addition, filled out the Children's Behavior Questionnaire (Rothbart, 2000) to assess the child's temperament and the Child Behavior Checklist (CBCL) for Ages 1 ½ -5 (Achenbach & L. A. Rescorla, 2000) and the Child Behavior Checklist (CBCL) for Ages 6-18 (Achenbach, 2001) to assess the overall indicator of psychopathological symptoms. The results indicated that the length of institutionalization is positively associated with secure base distortions, rs = 0,26, p <0,05; as well as with the overall indicator of psychopathological symptoms rs = 0:37, p< 0,001 . Regarding the temperament no significant results were found. The results show that children with longer institutionalization and greater overall indicator of psychopathological symptoms show more secure base distortions , being the latter the best predictor.
TypeMaster thesis
DescriptionDissertação de mestrado integrado em Psicologia (área de especialização em Psicologia Clínica e da Saúde)
URIhttp://hdl.handle.net/1822/26779
AccessOpen access
Appears in Collections:BUM - Dissertações de Mestrado Integrado
CIPsi - Dissertações de Mestrado

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Ana Cristina Sousa Vieira.pdf1,86 MBAdobe PDFView/Open

Partilhe no FacebookPartilhe no TwitterPartilhe no DeliciousPartilhe no LinkedInPartilhe no DiggAdicionar ao Google BookmarksPartilhe no MySpacePartilhe no Orkut
Exporte no formato BibTex mendeley Exporte no formato Endnote Adicione ao seu ORCID