Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/1822/25897

TitleGestão dos riscos em projetos de construção
Author(s)Oliveira, José Carlos Seixas dos Santos
Advisor(s)Teixeira, José M. Cardoso
Miguel, António
KeywordsGestão dos riscos
Gestão de projetos
Projeto
Riscos
Ameaças
Oportunidades
Incerteza
Ciclo de vida do projeto
Probabilidade
Impacto
Plano de resposta
Plano de contingência
Earned value management (EVM)
Valor esperado
Risk management
Project management
Project
Risk
Threats
Opportunities
Uncertainty
Project life cycle
Likelihood
Impact
Response plan
Contingency plan
Expected Value
Issue date2013
Abstract(s)Como materializar uma ideia, com base em planos e respeitando limites de custo e prazo? Sem desprezo pelas restantes variáveis, estas tem sido as principais preocupações de quem tem a obrigação de o conseguir. Desde sempre, os grandes construções das civilizações Maia, Egípcia, Romana e outras, foram conseguidas tendo como fonte uma inesgotável disponibilidade de recursos humanos (essencialmente mão-de-obra escrava), económico (pilhagens das guerras, comercio, impostos...), que permitiam consagrar grandes projetos a grandes ideias de inspiração religiosa, administrativa, militar, económica... Porém, a evolução e a limitação dos recursos reclama a otimização dos processos. Assim, torna-se imperioso que os recursos consumidos para a execução dos projetos sejam aplicados de uma forma racional, procurando sempre o difícil equilíbrio entre os objetivos do projeto e a sua execução física, tendo em conta a disponibilidade de recursos consignados. Os fatores que contribuem, positivamente ou negativamente, para a concretização dos objetivos do projeto, são chamados Riscos, que podem ser intrínsecos ao próprio projeto (variáveis internas) ou extrínsecas ao mesmo (variáveis externas). A partir da necessidade de gerir as variáveis externas e internas a um projeto, nasce a Gestão de Projetos. Não é mais do que a reunião de um conjunto de procedimentos e conceitos, suportados por conhecimentos existentes organizados, otimizados e aplicados às necessidades de controlo do projeto, que emergem durante o seu ciclo de vida. Uma das áreas da Gestão de Projetos, é a Gestão dos Riscos. A aplicação desse conhecimento à Gestão dos Projetos é tão justificável, quanto o entender que o sucesso de um projeto está dependente da forma como são geridas as variáveis que, inevitavelmente, condicionam o seu resultado. Como controlar os efeitos dessas variáveis, sobre os objetivos do projeto? Adotando uma metodologia de Gestão do Risco, adequada ao projeto em causa, de modo a permitir gerir esses fatores, quer na sua origem (probabilidade de ocorrência) quer no seu efeito (impacto) sobre os objetivos do projeto. A gestão dessas variáveis, é conhecida como Gestão dos Riscos. Não controlar os riscos de um projeto, é meio caminho andado para o seu insucesso. Há que contar com eles, geri-los seja para minimizar os seus efeitos (ameaças), seja para os potenciar (oportunidades). Não há projetos sem riscos, assim como não haverá sucesso, ignorando-os. Saber geri-los, em conjunto com os restantes procedimentos que dão corpo à Gestão dos Projetos, é uma tarefa indispensável e incontornável pois a sua transversalidade quer ao ciclo de vida do projeto quer aos próprios procedimentos da Gestão dos Projetos, faz dele mais do que uma necessidade, é um mecanismo de presença constante, sob a forma de vigilância, antecipação, preparação e ação.
How to make an idea come true based on plans, and respecting time and budget limits? With no despise for all the other project variables, these have been the main worries of who has the obligation to achieve it. Ever since the biggest project constructions from the Maya, Egyptian, Roman and other ancient civilizations, were attained thanks to an endless availability source of human resources (most of them slaves who worked as labours), economic resources (war pillages, trade, taxes…), which allowed to accomplish great projects, coupled with great inspiring ideas based on religious faith, economic needs, administrative organization, military goals… However, the human and social evolution, as resources restrictions as well, have demanded for processes optimizations. Consequently, that kind of restriction requires for rational resources consumption, used for project goals achievement, given their growing unavailability and, therefore, its cost. The reasons that may influence, negatively or positively, all project goals success, are called Risks, which can come up from inside or outside the project itself. From the need to manage the internal and external variables of a project, we got the Project Management. It is not more than a set of procedures and concepts, supported by existing organized knowledge, optimized and used for project management needs, during his life cycle. One of the Project Management knowledge area, is the Risk Management. The use of this knowledge area, in the Project Management is as correct, as understanding that a project success depends on how variables are, or are not, successfully managed, which inevitably impact the result. How to control, those variables effects, on project goals? Using a Risk Management methodology, appropriate for the project demands, so that allows to manage those issues, whether on their origin (event likelihood) or over his effect (impact) on project goals. This event management is known as Risk Management. Not controlling project risks is half way for his unsuccessful end. They exist, are part of the project, and should be taken into account, managing them whether to minimize their effects (threats), and/or to empower them (opportunities). There are no projects without risks, as there will be no success, ignoring them. Knowing how to manage Risks, together with all the other procedures, which are part of the Project Management body, is indispensable and plays a required role, for its importance and permanent use, during project life cycle or all the Project Management areas. Therefore, that makes of it more than a need, it is a framework that is always being used, on a monitoring way, predicting his likelihood and impact, preparing the response and acting instead of reacting.
TypeMaster thesis
DescriptionDissertação de mestrado em Construção e Reabilitação Sustentável
URIhttp://hdl.handle.net/1822/25897
AccessOpen access
Appears in Collections:BUM - Dissertações de Mestrado Integrado
C-TAC - Dissertações de Mestrado

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Dissertação_José Carlos Oliveira_16Jun13.pdf2,86 MBAdobe PDFView/Open

Partilhe no FacebookPartilhe no TwitterPartilhe no DeliciousPartilhe no LinkedInPartilhe no DiggAdicionar ao Google BookmarksPartilhe no MySpacePartilhe no Orkut
Exporte no formato BibTex mendeley Exporte no formato Endnote Adicione ao seu ORCID