Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/1822/25609

TitleAferição para a população portuguesa da escala de desenvolvimento : ages & stages questionnaires (ASQ-3) dos 30 aos 60 meses
Author(s)Graça, Patrícia
Advisor(s)Serrano, Ana Maria
KeywordsIntervenção precoce
Rastreio de desenvolvimento
Ages & stages questionnaires
Psicometria
Validação
Early intervention
Development screening
Ages & stages questionnaires,
Psychometry
Validation
Issue date16-Jul-2013
Abstract(s)A construção e evolução dos conceitos subjacentes à Intervenção Precoce (IP) na qual os pais/família desempenham um papel preponderante no processo relacionado com o desenvolvimento do seu filho/a, leva-nos à conclusão que o seu contributo na deteção precoce de problemáticas será fundamental. Sendo o Ages & Stages Questionnaires (ASQ) um instrumento referenciado e estudado em diferentes países e culturas, percebemos que era necessária investigação que pudesse contribuir para a sua validação na população portuguesa, favorecendo deste modo a sua futura disponibilização em Português (ASQ-PT). O ASQ – 3ª edição é constituído por 21 questionários divididos pelas idades 2 4, 6, 8, 9, 10, 12, 14, 16, 18, 20, 22, 24, 27, 30, 33, 36, 42, 48, 54 e 60 meses. Cada questionário é composto por 30 itens divididos pelas áreas de desenvolvimento comunicação, motricidade global, motricidade fina, resolução de problemas e pessoalsocial. Após o preenchimento dos questionários pelos pais/cuidadores, os itens são cotados e o total de cada dimensão de desenvolvimento é comparado com dois pontos de corte. Desta comparação surge uma de três conclusões possíveis: 1) o desenvolvimento da criança está dentro dos parâmetros normais; 2) a criança é encaminhada para monitorização do desenvolvimento; 3) ou, por último, é encaminhada para uma avaliação mais específica por um profissional. Este estudo refere-se aos questionários de idades iguais ou superiores a 30 meses e apresenta os dados de uma amostra total de 926 indivíduos recolhidos em Portugal Continental e no Arquipélago dos Açores. As medidas psicométricas da versão traduzida do ASQ de fiabilidade e de validade foram calculadas sendo que a primeira inclui estudos de consistência interna pelos valores de alpha de Cronbach, teste-reteste e acordo interobservadores e a segunda abrange a análise fatorial, as correlações através de r de Pearson ou Rho de Spearman e os estudos comparativos em amostra de risco e com amostra em acompanhamento terapêutico. Relativamente às medidas de fiabilidade observaram-se algumas limitações no que respeita à consistência interna. Os valores de alpha de Cronbach de cada dimensão em cada questionário variam entre .37 e .80 traduzindo em alguns casos algumas dificuldades no que respeita à homogeneidade dos itens de cada dimensão. Contudo, salienta-se o elevado nível de acordo entre observadores bem como no teste-reteste com valores normalmente bons e muito bons de correlação nas diferentes dimensões. No que respeita à validade observa-se da análise fatorial que a organização dos itens por fatores distancia-se, na maioria dos questionários, das dimensões de desenvolvimento originais, à exceção dos 60 meses. Os valores de r de Pearson ou de Rho de Spearman revelaram que quando se observa correlação entre as diferentes dimensões de desenvolvimento estas são maioritariamente fracas a moderadas traduzindo a manutenção da identidade das mesmas. No contributo para a validade clínica com a comparação das médias entre as amostras com risco e sem risco é claro que a primeira obteve quase na totalidade das dimensões e idades médias mais baixas. Nos dados obtidos pela amostra com acompanhamento terapêutico encontrase uma clara discrepância nos valores das médias obtidas nas diferentes dimensões traduzindo a eficácia do ASQ para deteção de problemáticas de desenvolvimento. Na comparação entre os pontos de corte obtidos para a população portuguesa percebe-se uma tendência para o seu aumento quando comparados com o instrumento original. Para além disso, é relevante a observação das percentagens de identificação de crianças com possíveis alterações de desenvolvimento indo de 4,4% a 12,9% numa dimensão de desenvolvimento e de 3,6% a 6,2% em duas ou mais. No total o ASQ-PT identificou 9,2% de crianças com necessidade de avaliação específica numa dimensão e 5,3% em duas ou mais dimensões de desenvolvimento. É possível concluir que, apesar de algumas fragilidades encontradas ao longo da análise das qualidades psicométricas, o ASQ-PT dos 30 aos 60 meses preenche os requisitos de um instrumento de rastreio validado para a população portuguesa que nos permite a identificação precoce das crianças com problemas de desenvolvimento, favorecendo também, a participação ativa dos pais neste processo e respondendo às necessidades de identificação precoce preconizadas na legislação portuguesa do Sistema Nacional de Intervenção Precoce na Infância (SNIPI).
The construction and evolution of the underlying concepts of Early Intervention (EI), in which parents/family play a preponderant role in the development of their child, leads us to the conclusion that their contribution in the early detection of problems is fundamental. The Ages & Stages Questionnaires (ASQ) is a reference instrument studied in different countries and cultures, therefore we realised that research would be necessary, and could contribute to the validation of the instrument in the Portuguese population, thus facilitating its future availability in Portuguese (ASQ-PT). The ASQ – 3rd edition contains 21 questionnaires, divided up into the ages of 2, 4, 6, 8, 9, 10, 12, 14, 16, 18, 20, 22, 24, 27, 30, 33, 36, 42, 48, 54 and 60 months. Each questionnaire is made up of 30 items divided into the development areas of communication, gross motor, fine motor, problem solving and personal-social. After the completion of the form by the parents/caregivers, the items are rated and the total of each section of development is compared with two cutoff points. From this comparison three possible conclusions will arise: 1) the child’s development is within normal parameters; 2) the child is forwarded to development monitoring; 3) or, lastly, the child is forwarded to a more specific assessment by a professional. This study refers to the questionnaires for the ages of 30 to 60 months, and presents the data from a total sample of 926 individuals, collected in Mainland Portugal and the Azores Archipelago. The psychometric measures of the translated version of the ASQ for reliability and validity were calculated: the first one is inclusive of studies of internal consistency with the Cronbach coefficient alpha, test-retest and interobserver agreement. The second one covers factorial analysis, the correlations using the Pearson product moment or Spearman Rho, and the comparative studies in at-risk samples and with a sample in therapeutic following. With regard to reliability, some limitations were noted in the internal consistency. The Cronbach alpha values of each dimension in each questionnaire varies between 37 e 80, reflecting in some cases difficulty with regard to the consistency of the items in each dimension. However, the high level of agreement between observers is to be noted, as in the test-retest, with normally good and very good values of correlation in the different dimensions. Regarding the validity, from the factor analysis it was observed that the organization of the items by factors distances itself, in most questionnaires, from the original development dimensions, with the exception of the 60 months one. The values of Pearson’s r or of the Spearman Rho revealed that when the correlations between the different dimensions of development are observed, these are mostly weak to moderate, translating the maintenance of their identity. As a contribution to clinical validity, by comparing the mean between the samples at risk and without risk, it is clear that the first had a lower mean in almost the totality of the dimensions and ages. In the data produced by the sample with therapeutic following there is a clear discrepancy in the mean values obtained in the different dimensions, which translates the effectiveness of the ASQ in the detection of development problems. In the comparison between the cutoff points obtained for the Portuguese population, an increasing trend was noted, when compared with the original instrument. Besides that, another relevant point is the observation of percentages of children that were identified as having possible developmental disabilities, going from 4.4% to 12,9% in one dimension of development, and 3,6% to 6,2% in two or more. In total the ASQ-PT identified 9,2% of children with a need for specific evaluation in one dimension, and 5,3% in two or more development dimensions. It is possible to conclude that, although some weaknesses were noted in the course of the psychometric qualities analysis, the ASQ-PT from 30 to 60 months of age fulfils the requirements of a screening tool validated for the Portuguese population, allowing the early identification of children with development problems. It also favours the parents active participation in this process and answers the need for the early detection recommended in the Portuguese legislation of the National System for Early Child Intervention.
TypeDoctoral thesis
DescriptionTese de doutoramento em Estudos da Criança (área de especialização em Educação Especial)
URIhttp://hdl.handle.net/1822/25609
AccessOpen access
Appears in Collections:BUM - Teses de Doutoramento
CIEC - Teses de Doutoramento

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Patrícia Roberto de Meireles Graça.pdf4,38 MBAdobe PDFView/Open

Partilhe no FacebookPartilhe no TwitterPartilhe no DeliciousPartilhe no LinkedInPartilhe no DiggAdicionar ao Google BookmarksPartilhe no MySpacePartilhe no Orkut
Exporte no formato BibTex mendeley Exporte no formato Endnote Adicione ao seu ORCID