Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/1822/25303

TitleA Ordem Terceira de São Francisco na cidade de Guimarães : (1850-1910)
Author(s)Oliveira, Carla Manuela Baptista da Silva
Advisor(s)Sá, Isabel dos Guimarães
Issue date2003
Abstract(s)Após ter finalizado a parte curricular do Curso de Mestrado em Património e Turismo e sabendo que tinha pela frente a elaboração de uma tese, o primeiro desafio que se colocou diante de mim foi a descoberta do tema que iria ser versado pela mesma. É certo que num curso que engloba duas áreas distintas, ainda que extremamente relacionadas, o património e o turismo, várias matérias foram leccionadas, desde aquelas referentes ao património documental, arquitectónico, natural, até às técnicas dos profissionais do turismo, multimédia, entre outras. O leque de opções para um possível tema de dissertação apresentava-se, desta maneira, vasto, situação esta que poderia, simultaneamente, facilitar ou dificultar a minha escolha. Algo estava certo nos meus objectivos: queria desenvolver uma investigação acerca da cidade de Guimarães, de onde sou natural, e mais enquadrada na parte do património, devido a possuir formação académica em investigação de História. Despertada pela curiosidade, resolvi visitar a Ordem Terceira de São Francisco de Guimarães, na busca de resposta para este meu dilema: encontrei-a. Devido à amabilidade com que fui recebida e à imediata disponibilidade do arquivo privado da instituição, e depois de me informar acerca dos documentos guardados no referido arquivo, decidi fazer daquela irmandade o objecto da minha dissertação. Não foi uma decisão inconscientemente rápida pois assegurei-me previamente da viabilidade de desenvolver uma investigação a partir do seu património documental. Sendo a Ordem e seu espólio arquitectónico e artístico – cuja conservação, restauro e divulgação constitui uma das preocupações da instituição – sempre registado nos folhetos e roteiros turísticos de Guimarães, inequivocamente enquadrado no acerco patrimonial vimaranense e um dos mais visitados da cidade, deparei com um arquivo documental riquíssimo praticamente inexplorado, à semelhança do que acontece com outras instituições. Apesar do desaparecimento de muitos documentos ocorrido por ocasião da extinção das ordens religiosas, a Ordem possui ainda uma notável documentação onde está guardada uma série de fontes cujas informações variadas permitem uma vasta investigação académica e científica. Estas dizem respeito a registos de aspectos individuais, colectivos, financeiros e administrativos da actividade da instituição. Esse mesmo acervo de documentos remonta à época medieval, embora de forma incompleta quanto mais longe recuarmos no tempo. Para um período histórico mais recente a informação apresenta-se numa sequência relativamente completa, levando-nos a estabelecer como limites cronológicos do nosso trabalho o ano de 1850 e 1910. Pareceu-nos interessante situar a Ordem num contexto português marcado pelo liberalismo e de que maneira o mesmo condicionou a sua actividade no ambiente citadino até à instauração da República, data que por si só já constituiu a viragem de um período histórico para outro devido às grandes transformações que se operaram no país. No decorrer destes sessenta anos estiveram registados como irmãos quatro mil quinhentos e dois indivíduos de ambos os sexos, levando-nos a pensar que se ultrapassássemos esse âmbito cronológico não levaríamos a bom termo esta investigação dentro dos prazos exigidos, dada a quantidade de elementos informativos registados nos livros para cada terceiro. Uma parte importante deste trabalho diz respeito à caracterização e abordagem social que nos propusemos fazer para cada indivíduo que deu entrada na instituição. A partir dos livros de entradas de irmãos terceiros estudámos aspectos como o estado civil, a ocupação profissional, a idade, a residência, quanto pagava de jóia de admissão, a data da sua tomada de hábito e posterior profissão, quais os cargos que ocupou na administração da instituição, e outros elementos considerados fundamentais pelo secretário que os registou. Alguns destes diziam respeito à presença de títulos nobiliárquicos (num grupo mais restrito de terceiros), relações familiares ou profissionais entre irmãos, situações de co-residência, entre outros. Tendo como ponto de partida os livros de entradas de irmãos para a elaboração de uma base de dados, tornou-se necessário efectuar um cruzamento com outras fontes importantes para a abordagem social que pretendíamos e para prosseguir na descoberta das relações existentes entre os irmãos terceiros. Referimo-nos aos livros de entradas de pupilos e de eleições. Sabendo que umas matérias levam a outras, e depois de obtermos resultados consistentes acerca do razoável equilíbrio entre a presença masculina e a feminina, das actividades profissionais exercidas – perfeitamente enquadradas no quadro profissional citadino - ,dos cargos exercidos dentro da instituição, julgámos imprescindível o conhecimento das regras e princípios que orientavam o conjunto das actuações, procedimentos e rituais dos terceiros vimaranenses. A etapa seguinte passou, assim, pelo estudo de um outro tipo de documentação: os Estatutos – os quais regulamentavam todos os aspectos das actividades da Ordem -, a Regra da Ordem Terceira de São Francisco e os Livros de termos das sessões da Mesa e Junta Magna, órgãos deliberativos e directivos, por excelência, da Ordem Terceira. Trataríamos, assim, das regulamentações e dos elementos de índole jurídica que sustentavam toda a vida administrativa e assistencial da instituição. Através deles ficamos a saber quais eram os objectivos da mesma, como decorria a sua organização e administração, quais as funções e atribuições dos que ocupavam os cargos governativos, como decorria o processo de admissão de terceiros, quem poderia ser admitido e quem seria excluído deste círculo de sociabilidade específico. Uma outra parte considerada de grande relevância no seio desta investigação estende-se ao estudo da actividade interventiva da Ordem Terceira na cidade de Guimarães. De facto, a mesma foi evidente no contexto citadino, bem conhecida e reconhecida pela população, e passava pela vertente assistencial, com a criação de um hospital, de um asilo de entrevados e de uma creche, e pela actividade cultural, através das escolas primárias, das oficinas de ensino profissional e do museu. A componente assistencial e educativa foi crucial para a projecção local da instituição. Novas fontes nos surgiram, desta vez respeitantes aos regulamentos internos originais das várias valências, os quais nos serviram de suporte teórico para o conhecimento dessas vivências As informações nelas contidas foram sempre cruzadas com as dos livros de termos das sessões, os quais eram reflexos da realidade do dia-a-dia e das necessidades e dificuldades passadas. Os livros de termos das sessões da Mesa e Junta Magna permitiram-nos, igualmente, colher informações acerca de uma prática encetada pela Ordem, a qual constituía um motivo para que estranhos e até mesmo irmãos recorressem à mesma com frequência. Referimo-nos à concessão de crédito, muito vulgarizada por esta instituição e por outras irmandades, sobre a qual teceremos, apenas, algumas anotações, dado que a vertente económica e a administração financeira não se enquadram no estudo social e institucional que pretendemos com a presente investigação. Para tornar mais completo o estudo dos aspectos formais e assistenciais da Ordem Terceira, não poderíamos deixar de efectuar uma pequena apresentação da história da ordem franciscana, desprovida de qualquer originalidade, da qual a presente instituição terceira deriva. O surgimento e percurso dos franciscanos em Portugal, a fundação do convento da mesma ordem em Guimarães e o contexto religioso da cidade constituem matérias de grande importância para o enquadramento e estudo específico da Ordem Terceira dentro do país e da região minhota. Para conhecermos a formação da ordem religiosa e da Ordem Terceira recorremos à bibliografia portuguesa sobre tema de índole religiosa e assistencial que, felizmente, vem sendo publicada cada vez em maior quantidade e explora temas até aqui pouco explorados. Ainda assim, apesar do aumento das investigações, existem poucas obras específicas sobre a abordagem social das ordens terceiras, limitando-se quase exclusivamente aos seus elementos institucionais e formais. Nascida num ambiente citadino específico, a Ordem Terceira de São Francisco de Guimarães era, igualmente, possuidora de características próprias. Apesar da sua especificidade, ao nível dos procedimentos e rituais, poderia ser contextualizada numa dimensão mais ampla, a nível regional e nacional. Veremos de que forma esse enquadramento se processou, demonstrando que em muitos aspectos a instituição constituía um reflexo de um todo mais vasto. Sabemos que, para além da assistência aos irmãos e da prática da filantropia, a Ordem Terceira desenvolvia outras actividades de extrema importância para os seus membros e para a visibilidade da instituição na cidade: as festividades religiosas e os serviços fúnebres dos terceiros. Temos consciência da relevância desta matéria para a compreensão da irmandade, porém não pudemos desenvolver a mesma por falta de tempo e para conseguirmos cumprir os prazos impostos para o término desta dissertação. Esperamos que os referidos temas venham a ser tratados num próximo estudo. Através deste empreendimento que nos propusemos efectuar tentaremos caracterizar social e institucionalmente a Ordem Terceira vimaranense num dos períodos áureos da sua existência, pelo rol de actividades assistenciais e culturais que iniciou e desenvolveu no contexto citadino e concelhio, espalhando a sua influência pelas freguesias urbanas, suburbanas e do resto do concelho, e até fora dele. A base de toda esta investigação está assente no seu património documental, o qual não pode ser descurado e “escondido” pelo artístico, o mais visível e apreciado turisticamente. Pretendemos dar a conhecer e “trazer para fora das portas” um rico espólio documental até agora pouquíssimo explorado, o qual poderá vir a ser tão procurado, investigado e reconhecido publicamente como acontece com o seu património artístico.
TypeMaster thesis
DescriptionDissertação de mestrado em Património e Turismo
URIhttp://hdl.handle.net/1822/25303
AccessOpen access
Appears in Collections:BUM - Dissertações de Mestrado
CECS - Dissertações de mestrado / Master dissertations

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
TESE.pdf2,37 MBAdobe PDFView/Open

Partilhe no FacebookPartilhe no TwitterPartilhe no DeliciousPartilhe no LinkedInPartilhe no DiggAdicionar ao Google BookmarksPartilhe no MySpacePartilhe no Orkut
Exporte no formato BibTex mendeley Exporte no formato Endnote Adicione ao seu ORCID