Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/1822/23249

TitleFiguras do herói: literatura, cinema, banda desenhada
Editor(s)Álvares, Cristina
Curado, Ana Lúcia
Sousa, Sérgio Guimarães de
KeywordsHerói
Literatura
Cinema
BD
Issue date2012
PublisherUniversidade do Minho. Centro de Estudos Humanísticos (CEHUM)
Abstract(s)NOTA INTRODUTÓRIA Desde tempos imemoriais, os grupos humanos têm criado heróis para neles projetarem os seus ideais e valores, fundamentar a sua existência e problematizar a sua estrutura ética. Desde o semi-deus antigo ao herói urbano pós-moderno, as configurações histórico-culturais da figura heróica apresentam-se, não sofre dúvida, múltiplas e variadas. Há, pois, heróis e heroínas míticos, trágicos, cómicos, épicos, romanescos, picarescos, clássicos, tradicionais, modernos, contemporâneos, anti-heróis, super-heróis. Numa palavra, o herói tem mil caras.       Esta diversidade não obstou ao reconhecimento de uma estrutura ou morfologia invariante – o monomito, o arquétipo ou o mitologema heróico –, morfologia determinada em assinalável porção pela função do herói nos mitos: fundador e transgressor, ele ou ela instaura a ordem humana pela rutura com a ordem divina. Neste sentido, o herói mítico, que se situa para lá da lei e da ordem que fundou, constitui a referência e a medida das tipologias heróicas e assim todo o herói preserva algo deste modelo. O mesmo é dizer: mediador entre ordem e contra-ordem, o herói caracteriza-se por uma atitude de denegação em relação à lei e ao poder (age ao seu serviço mas simultaneamente excede-os).       Desta denegação derivam o hibridismo e a liminaridade do herói, as suas deslocações entre dois mundos (o dos vivos e o dos mortos, o do sonho e o da realidade, o dos civilizados e o dos selvagens). O herói é, em consequência, essencialmente aquele ou aquela que se expõe ao que advém (advenire, a(d)ventura), por outras palavras, é aquele ou aquela que está disponível para o decisivo encontro (ou, não raro, encontrão) com a alteridade radical, dispondo-se a procurar uma dimensão perdida, material e/ou imaterial, sofrendo a mutação da identidade e/ou a transformação do mundo.       Dissidente, desertor, mestiço, pirata, missionário, repórter, viajante, sedutor, detetive, explorador, arqueólogo, justiceiro – estas e outras figuras heroicas, como seria expectável, encontram-se, no masculino e no feminino, em mitos, contos, romances, teatro, cinema, banda desenhada, vídeo-jogos. Ao reunir, no presente volume, um assinalável e assaz transdisciplinar conjunto de estudos, pautados por orientações metodológicas e programáticas distintas (a narratologia, os estudos sobre o imaginário, os estudos culturais, a psicanálise, os estudos intermediais, os neo-comparatismos, entre outras matrizes analítico-interpretativas) e abrangendo múltiplas modalidades estético-expressivas (a Literatura, o Cinema, a Banda Desenhada), procura-se oferecer o resultado de uma análise crítica e heurística da entidade Herói pensada e descrita em função de um intuito primordial e substantivo: aprofundar, em múltiplos suportes, o conhecimento histórico-semântico da suas numerosas figurações.
TypeConference proceedings
DescriptionA presente obra reúne as comunicações, bem como as conferências, apresentadas no “Colóquio Internacional Figuras do Herói – Literatura, Cinema, Banda Desenhada” realizado no Instituto de Letras e Ciências Humanas da Universidade do Minho, nos dias 26, 27 e 28 de abril de 2012.
URIhttp://hdl.handle.net/1822/23249
AccessOpen access
Appears in Collections:CEHUM - Volumes de atas de conferências

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
FigurasdoHeroi_IMPRESSAO_20130214.pdf1,46 MBAdobe PDFView/Open

Partilhe no FacebookPartilhe no TwitterPartilhe no DeliciousPartilhe no LinkedInPartilhe no DiggAdicionar ao Google BookmarksPartilhe no MySpacePartilhe no Orkut
Exporte no formato BibTex mendeley Exporte no formato Endnote Adicione ao seu ORCID