Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/1822/22945

TitlePsychological predictors of acute and persistent postsurgical pain in patients submitted to hysterectomy and to total knee and hip arthroplasty
Author(s)Pinto, Patrícia Jesus Ribeiro
Advisor(s)McIntyre, Teresa
Almeida, Armando
Soares, Vera Araújo
Issue date5-Nov-2012
Abstract(s)Pain is a complex human subjective and idiosyncratic experience. After surgery, acute pain is the most common and expected problem. The development of persistent post-surgical pain (PPSP) is an undesirable but common adverse outcome after surgery. Surgery provides a unique opportunity to examine the influence and predictive nature of a variety of demographic, clinical and psychological factors on subsequent pain persistence. Psychological factors have emerged as consistent predictors of acute and persistent post-surgical pain. Factors identified to date include negative emotions, coping strategies and surgery-specific beliefs or expectations, suggesting that perceptual/cognitive, emotional, and behavioral factors play key roles in influencing post-surgical pain experience. The aim of this thesis was to explore and examine, prospectively, the joint role of demographic, clinical and psychological variables as predictors of the following outcomes: a) acute post-surgical pain; b) PPSP; c) post-surgical rescue analgesia provision; and, d) post-surgical anxiety. A consecutive sample of 203 women (age: 51.0 ± 9.22) undergoing hysterectomy for benign disorders and of 130 patients (age: 65.2 ± 7.97) scheduled for total knee and hip arthroplasty (TKA and THA), were evaluated in a single site prospective study with assessments 24h prior to surgery (T1), 48h (T2), and 4/6 months (T3) after surgery. In the five studies conducted, several demographic and clinical variables were evaluated. Psychological variables assessed were anxiety, depression, pain coping skills (e.g. pain catastrophizing), surgical fears, optimism and illness representations. Acute post-surgical pain, in the hysterectomy sample (study 1), was better predicted by an integrative model which included younger age, pre-surgical pain severity, pain due to other causes, pre-surgical anxiety and pain catastrophizing. The results indicated the full mediation role of pre-surgical pain catastrophizing between pre-surgical anxiety and post-surgical pain intensity, which is a novel finding. As pre-surgical anxiety increases, women tend to catastrophize more about pain and this seems to predict increased acute post-surgical pain intensity. Study 2 examined post-surgical rescue analgesia (RA) provision in an effort to understand the variables that influence clinical decisions on RA provision. The results indicated that RA provision may be influenced not only by clinical variables (e.g. post-surgical pain intensity) but also by patient presurgical fear, pain catastrophizing and post-surgical anxiety. These psychological factors are likely to influence patient-provider interactions. Study 3 investigated the predictors of PPSP among women submitted to hysterectomy, with age, pain due to other causes and type of hysterectomy emerging as predictors. Pre-surgical psychological factors, such as anxiety, emotional illness representations and pain catastrophizing, were found to be additional risk factors for PPSP. Postsurgical anxiety added to the prediction of PPSP. In arthroplasties (study 4), the model which predicted acute pain in hysterectomy could not be replicated and optimism was the only significant predictor of pain intensity 48 hours after surgery. In this sample, there was also a strong association between post-surgical anxiety and acute pain after surgery. Moreover, post-surgical anxiety was predicted by a similar model to the one found for the prediction of acute post-surgical pain. Pre-surgical optimism, emotional representations and pre-surgical anxiety were significant predictors of post-surgical anxiety (T2). After total knee and hip arthroplasty (Study 5), PPSP seems to be better predicted by pre-surgical (T1) and post-surgical anxiety, as well as by acute post-surgical pain intensity (T2). In conclusion, the five studies conducted highlight the role of psychological factors in crucial aspects of the surgical experience: a) acute and persistent post-surgical pain; b) rescue analgesia administration; and, c) post-surgical anxiety. These results have important implications for patient care at pre-surgery and during the post-surgery follow up. The data points to the need to assess psychological factors at different stages of the surgery process, and the important role of Health Psychologists within acute pain team services. These professionals can contribute to a multidisciplinary and systemic approach in acute pain management and control, which aims at preventing the development of persistent post-surgical pain.
A dor é uma experiência humana complexa e idiossincrática. A dor aguda é o problema mais comum e esperado após uma cirurgia. Por sua vez, o desenvolvimento de dor persistente póscirúrgica (DPPC) é uma ocorrência adversa indesejável mas comum. A cirurgia é um excelente modelo para examinar a influência e a natureza preditiva de uma variedade de factores no desenvolvimento subsequente de dor persistente. No contexto da investigação sobre dor cirúrgica, os factores psicológicos têm emergido como preditores consistentes de dor póscirúrgica aguda e persistente. Os factores identificados até agora incluem emoções negativas, estratégias de coping e crenças ou expectativas específicas à cirurgia, sugerindo que os factores perceptuais/cognitivos, emocionais e comportamentais desempenham um papel chave na influência da experiência de dor pós-cirúrgica. O objectivo desta tese foi de explorar e examinar prospectivamente a influência de um conjunto de variáveis demográficas, clinicas e psicológicas como predictores dos seguintes resultados: a) dor aguda pós-cirúrgica; b) DPPC; c) administração pós-cirúrgica de analgésicos de resgate; e d) ansiedade pós-cirúrgica. Uma amostra consecutiva de 203 mulheres (idade: 51.0 ± 9.22) com histerectomia programada devido a causas benignas e uma amostra consecutiva de 130 pacientes (idade: 65.2 ± 7.97) agendados para a realização de artroplastia de joelho ou anca, foram avaliados num estudo prospectivo 24 horas antes da cirurgia (T1), 48 horas (T2) e 4/6 meses (T3) depois da cirurgia. Nos cinco estudos descritos, diversas variáveis demográficas e clínicas foram analisadas. As variáveis psicológicas avaliadas foram a ansiedade, a depressão, estratégias de confronto da dor (ex: catastrofização), os medos cirúrgicos, o optimismo e as representações da doença subjacente à realização da cirurgia. Na amostra de mulheres submetidas a histerectomia (estudo 1) foi identificado um modelo integrativo preditor da dor aguda pós-cirúrgica que incluía a idade (mais jovem), a intensidade da dor pré-cirúrgica, a dor devido a outras causas, a ansiedade pré-cirúrgica e a catastrofização da dor. Os resultados identificaram ainda o papel mediador da catastrofização da dor entre a ansiedade pré-cirúrgica e a intensidade da dor pós-cirúrgica, achado inovador na literatura deste dominio. À medida que aumenta a ansiedade pré-cirúrgica, as mulheres tendem a catastrofizar mais acerca da dor e isso parece associar-se a um aumento da intensidade da dor aguda póscirúrgica. O estudo 2 debruçou-se sobre o consumo pós-cirúrgico de analgesia de resgate, no sentido de compreender as variáveis que influenciam as decisões clínicas subjacentes à provisão de analgesia de resgate. Os resultados indicaram que a provisão de analgesia de resgate pode ser influenciada não só por factores clínicos (intensidade da dor pós-cirúrgica), mas também pelos medos pré-cirúrgicos, catastrofização da dor e ansiedade pré-cirúrgica. Estes factores psicológicos têm o potencial de influenciar as interacções entre os pacientes e os prestadores de cuidados. O estudo 3 investigou os preditores de DPPC nas pacientes submetidas a histerectomia, evidenciando-se a idade, a dor devido a outras causas e o tipo de histerectomia como preditores. Os factores psicológicos pré-cirúrgicos como a ansiedade, as representações emocionais da doença subjacente à cirurgia e a catastrofização da dor, surgiram como factores de risco adicionais para o desenvolvimento de DPPC. A ansiedade pós-cirúrgica revelou-se como um factor adicional para a predicção da DPPC. Nas artroplastias (estudo 4), o modelo predictor da dor aguda após a histerectomia não se confirmou e o optimismo foi o único predictor significativo da intensidade da dor 48 horas após a cirurgia. Nesta amostra, observou-se também uma forte associação entre a ansiedade póscirúrgica e a dor aguda pós-cirúrgica. A ansiedade pós-cirúrgica também foi predicta a partir dum modelo semelhante ao utilizado para a previsão da dor aguda pós-cirúrgica. O optimismo précirúrgico, a representação emocional da doença e a ansiedade pré-cirúrgica, revelaram-se como preditores significativos dos níveis de ansiedade após estas cirurgias. Por sua vez, os níveis de ansiedade pré e pós-cirúrgica, bem como a intensidade da dor pós-cirúrgica, foram preditores de DPPC após artroplastia total do joelho e da anca (estudo 5). Em conclusão, os cinco estudos apresentados evidenciam o papel dos factores psicológicos nos seguintes aspectos da experiência cirúrgica: a) dor aguda e dor persistente pós-cirúrgica; b) administração de analgesia de resgate; e, c) ansiedade pós-cirúrgica. Estes resultados têm implicações clinicas importantes no acompanhamento dos pacientes no momento pré-cirúrgico e no seguimento pós-cirúrgico. Os dados salientam a necessidade de avaliação dos factores psicológicos ao longo dos varios momentos do processo cirúrgico, assim como a importância da colaboraҫão de Psicólogos da Saúde nos serviços de dor aguda. Estes profissionais podem contribuir para uma abordagem multidisciplinar e sistémica na gestão e controlo da dor, de forma a prevenir o desenvolvimento de dor persistente pos-cirúrgica.
TypeDoctoral thesis
DescriptionTese de doutoramento em Psicologia especialização em Psicologia da Saúde
URIhttp://hdl.handle.net/1822/22945
AccessOpen access
Appears in Collections:BUM - Teses de Doutoramento
CIPsi - Teses de Doutoramento

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Patrícia de jesus Ribeiro Pinto.pdf4,9 MBAdobe PDFView/Open

Partilhe no FacebookPartilhe no TwitterPartilhe no DeliciousPartilhe no LinkedInPartilhe no DiggAdicionar ao Google BookmarksPartilhe no MySpacePartilhe no Orkut
Exporte no formato BibTex mendeley Exporte no formato Endnote Adicione ao seu ORCID