Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/1822/22838

Full metadata record
DC FieldValueLanguage
dc.contributor.advisorAfonso, Ana Sofia-
dc.contributor.authorRodrigues, Francisco Manuel Estanislau Azevedo-
dc.date.accessioned2013-01-29T09:32:14Z-
dc.date.available2013-01-29T09:32:14Z-
dc.date.issued2012-
dc.date.submitted2012-
dc.identifier.urihttp://hdl.handle.net/1822/22838-
dc.descriptionDissertação de mestrado em Física – Formação Contínua de Professorespor
dc.description.abstractOs museus de ciência têm como principal função a de construir e apresentar uma imagem da ciência, evidenciando os seus objetivos e realçar a forma como estes mudaram ao longo dos séculos. Estas instituições podem contribuir para a aprendizagem das ciências pelos alunos no âmbito de visitas de estudo, a qual é influenciada por vários fatores, designadamente o questionamento dos visitantes. Pese embora a importância do questionamento no contexto dos museus de ciência, poucos estudos analisaram a natureza dos discursos que ocorrem nestas instituições no âmbito de visitas de estudo; as questões que os alunos formulam quando interagem com os módulos; e os fatores que afetam o questionamento e, como resultado, a aprendizagem. Este estudo procurou responder às seguintes questões de investigação: Que tipos de questões são formuladas por alunos do 8º ano de escolaridade durante a interação com módulos interativos no tema ótica? Qual a natureza das respostas dos alunos às questões formuladas? Que níveis de aprendizagem evidenciam os alunos como resultado das interações com os módulos interativos? Quais os fatores que afetam a formulação de questões durante a interação com os módulos? Os dados – recolhidos, no Museu de Ciência de Coimbra, sobretudo, a partir da gravação das conversas de 158 grupos de alunos no âmbito de visitas de estudo – revelam que: nos discursos alunos-alunos as questões de nível cognitivo, quando colocadas, são na maioria de nível cognitivo baixo. As respostas às questões são na sua maioria incompletas. Nos discursos dos alunos predominam expressões percetuais, afetivas e estratégicas sendo reduzidas as expressões explicativas, de conexão, e de natureza metacognitiva, o que parece traduzir que apenas alguns alunos atingiram o nível II de aprendizagem de acordo com as categorias de Bell et al (2009). Quando nas interações entre os alunos participa um adulto, o número de questões por aluno aumenta sem que contudo se registem alterações notórias no tipo de questões formuladas ou na natureza das respostas apresentadas. Os discursos, apresentam mais expressões de aprendizagem mas, no entanto, nem sempre apresentam correção científica, são marcados por expressões do tipo explicativo, registam uma forte diminuição nas expressões percetuais e afetivas, e uma ligeira diminuição nas expressões de estratégicas, sendo que as variações nas de conexão e de natureza metacognitiva são diminutas, pelo que os discursos de grupos nos quais participa um adulto não evidenciam aprendizagens que vão para lá do nível II da tipologia de Bell et al. (2009).por
dc.description.abstractThe main role of science museums is to build and present an image of science by showing objects and the way they evolved through time. These institutions can contribute to students’ learning during school field trips. Learning in these settings is constrained by several factors, namely visitors’ questioning. Nevertheless, few studies have analyzed the nature of students’ discourses during field trips; the questions that students ask in the museum during their interaction with exhibits; and the factors that affect questioning. This study aims at answering the following research questions: Which type of questions do 8th grade students spontaneously generate during interaction with exhibits on optics?; What is the nature of the answers to those questions?: Which levels of learning do students reveal through their discourses? Which factors may constrain questioning during students’ interaction. The data were collected at the Science Museum of Coimbra, mainly by recording the conversations of school groups that occurred in this setting. The discourse analysis of 158 groups showed that: the majority of students’ questions are of low cognitive level, and the answers to questions of the type comprehension were incomplete. Students’ discourse includes perceptual, affective and strategic expressions mainly. There are few explanatory, connective and metacognitive expressions. These discourses suggest that only some students achieved level II of learning in Bell et al’s (2009) system of learning categorization. Comparing the students discourse without and with the presence of an adult, the results show that when an adult participates in the interaction, there is an increase of the number of questions in the discourse but the type of questions asked remains almost the same; the discourse includes more explanatory expressions and less affective, perceptual and strategic expressions. Consequently, the presence of an adult does not enhance learning beyond level II of Bell’s et al. taxonomy.por
dc.description.sponsorshipFundação para a Ciência e a Tecnologia (FCT) - Projecto «PTDC/CPE-CED/108197/2008»por
dc.language.isoporpor
dc.rightsopenAccesspor
dc.titleAs visitas de estudo a um museu de ciência e as questões dos alunos no tema óticapor
dc.typemasterThesispor
dc.subject.udc53:372.853por
dc.subject.udc372.853:53por
dc.subject.udc069.12por
Appears in Collections:BUM - Dissertações de Mestrado
CDF - ENSINO - Comunicações/Communications (with refereeing)

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Francisco Manuel Estanislau de Azevedo Rodrigues.pdf2,69 MBAdobe PDFView/Open

Partilhe no FacebookPartilhe no TwitterPartilhe no DeliciousPartilhe no LinkedInPartilhe no DiggAdicionar ao Google BookmarksPartilhe no MySpacePartilhe no Orkut
Exporte no formato BibTex mendeley Exporte no formato Endnote Adicione ao seu ORCID