Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/1822/21495

TítuloAcidentes rodoviários das estradas nacionais de Portugal : estudo da associação entre variáveis e modelos de previsão de acidentes
Autor(es)Costa, Jocilene Otilia da
Pereira, Paulo A. A.
Freitas, Elisabete F.
Jacques, Maria Alice Prudêncio
Palavras-chaveFatores de acidentes
Equações de estimação generalizadas
Modelos de previsão de acidentes
Associação de variação
DataMai-2012
EditoraUniversidade do Minho
Resumo(s)Este artigo trabalha com o estudo de acidentes rodoviários ocorridos na região Norte de Portugal dividido em duas partes. Na primeira, trabalha-se a determinação do grau de associação entre algumas variáveis relacionadas aos elementos que afetam a segurança rodoviária (condutor, veículo, estrada e ambiente viário). Mostrou-se empiricamente, através do teste de associação qui-quadrado, que as variáveis estudadas (fatores atmosféricos, traçado da via, habilitação de condução, passageiros vítimas, peões vítimas e condutores vítimas) estão todas associadas com a natureza do acidente. No entanto, a maioria das associações é fraca. Na segunda parte apresenta-se uma contribuição inicial para modelo de previsão de acidentes – MPA para as estradas nacionais da região Norte de Portugal, nomeadamente: NR-14, NR-101 e NR-206. Este estudo analisou a frequência de acidentes, o tráfego médio diário anual (TMDA) e as características geométricas de 88 segmentos de estrada de duas faixas e sentidos opostos. Os segmentos selecionados foram de 200 m de comprimento fora de áreas urbanas. O procedimento de equações de estimação generalizadas – EEG foi aplicado a 6 bases de dados distintas formadas pelo agrupamento dos dados originais no tempo e no espaço. Os resultados mostram que as diferentes observações dentro de cada segmento de estrada apresentam como dominante a estrutura correlação permutável. Este documento também analisa o impacto do tamanho da amostra sobre a capacidade do modelo de identificar os fatores que contribuem para a ocorrência de acidentes e destaca que esta questão deve considerar medidas para reduzir o número de observações zero da variável dependente (número total de acidentes). Os principais fatores que contribuem para ocorrência de acidentes nas estradas estudadas foram o volume de tráfego (expresso em TMDA), largura de faixa, sinuosidade vertical e a densidade de pontos de acesso. Um MPA aceitável foi identificado para as estradas, que avaliou o número total de acidentes para segmentos de 200 m para um período cumulativo de três anos. Em ambos os estudos a base de dados utilizada foi formada pelos acidentes ocorridos no período de 1999 à 2010.
TipoconferencePaper
URIhttp://hdl.handle.net/1822/21495
Arbitragem científicano
AcessoopenAccess
Aparece nas coleções:C-TAC - Comunicações a Conferências Nacionais

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
livro de atas seminário GVR.pdf33,22 MBAdobe PDFVer/Abrir

Partilhe no FacebookPartilhe no TwitterPartilhe no DeliciousPartilhe no LinkedInPartilhe no DiggAdicionar ao Google BookmarksPartilhe no MySpacePartilhe no Orkut
Exporte no formato BibTex mendeley Exporte no formato Endnote Adicione ao seu Currículo DeGóis