Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/1822/20627

TítuloGeografias maleáveis : de Achill (Irlanda) a Sambala (Cabo Verde)
Autor(es)Sarmento, João Carlos Vicente
Palavras-chaveIrlanda
Cabo Verce
Paisagem
Pintura
Periferia
Data2010
EditoraInstituto Açoriano de Cultura
RevistaAtlântida: Revista de Cultura
Resumo(s)Os traços e telas de Paul Henry na ilha de Achill, a re-invenção da paisagem turística da Irlanda, os reposicionamentos cartográficos do país fabricados pelas empresas tecnológicas e pelo governo irlandês, as paisagens criativas, sobrepostas e fantasiadas de John Hinde e Seán Hilley, e o mundo que Sambala material e simbolicamente vai tecendo em Cabo Verde, têm em comum a maleabilidade da geografia e a dinâmica do posicionamento das periferias. A condição de periferia e de isolamento não é fixa ou imutável no tempo, mas é uma qualidade circunstancial e inconstante. Naturalmente que a materialidade da terra e as suas acessibilidades podem ter um papel fundamental na construção da centralidade dos espaços. Mas a forma como vemos a paisagem, como a representamos, como a tratamos, como lhe falamos, como a destilamos e a transmutamos, pode resultar, em determinados contextos, em centralidades muito expressivas.
Tipoarticle
URIhttp://hdl.handle.net/1822/20627
ISSN1645-6815
Arbitragem científicayes
AcessoopenAccess
Aparece nas coleções:CECS - Artigos em revistas internacionais
GEO - Artigos em revistas nacionais com referee

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
Atlantida 2010.pdf6,91 MBAdobe PDFVer/Abrir

Partilhe no FacebookPartilhe no TwitterPartilhe no DeliciousPartilhe no LinkedInPartilhe no DiggAdicionar ao Google BookmarksPartilhe no MySpacePartilhe no Orkut
Exporte no formato BibTex mendeley Exporte no formato Endnote Adicione ao seu Currículo DeGóis