Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/1822/1987

TitleDominação e exclusão : representações sociais sobre minorias raciais e étnicas
Author(s)Cabecinhas, Rosa
Amâncio, Lígia
KeywordsRepresentações sociais
Categorização social
Preconceito
Social representations
Social categorization
Prejudice
Issue date2004
Abstract(s)Nesta comunicação apresentamos dois estudos em que investigámos as representações sociais acerca de grupos minoritários. No primeiro, analisámos as noções de ‘raça’ e de ‘grupo étnico’ dos jovens portugueses e averiguámos quais os ‘grupos étnicos’ mais significativos. No segundo, investigámos o conteúdo e o consenso dos auto- e hetero-estereótipos de jovens portugueses e angolanos. Os resultados do primeiro estudo demonstraram que a maior parte dos jovens não problematiza as noções de ‘raça’ e de ‘grupo étnico’, considerando-as como conceitos objectivos explicativos das assimetrias sociais. Os ‘grupos étnicos’ são vistos como possuindo características intrínsecas, imutáveis e muito marcadas, que os distinguem da maioria ou da cultura dominante. Da análise das respostas ressalta ainda a centralidade da cor da pele na categorização dos grupos sociais. No segundo estudo, constatámos que os portugueses evitam caracterizar os angolanos com traços muito negativos e, em alguns casos, caracterizam-nos com traços mais positivos do que aqueles que atribuem ao seu próprio grupo. No entanto, as dimensões mais valorizadas nas sociedades ocidentais (autonomia, individualidade, competência, responsabilidade) continuam a ser negadas ao grupo dominado. A representação do grupo dominado continua com uma forte ligação à ‘natureza’, enquanto que o grupo dominante surge como aparentemente liberto desta.
On this paper we present two studies concerning social representations of minority groups. On the first, we analyzed the notions of ‘race’ and ‘ethnic group’ amongst young Portuguese. Additionally, we examined which were considered by them the most significant ‘ethnic groups’. On the second, we investigated the content and variability of the stereotypes held by young Portuguese and young Angolans about their ingroup and outgroup. The results of the first study showed that the majority of the youngsters had never questioned either of the notions (‘race’/‘ethnic group’), considering both as objective concepts that explain social asymmetries. ‘Ethnic groups’ are seen has having inherent and immutable characteristics, which distinguish them from the dominant culture. The cultural characteristics are considered to be inseparable from physical characteristics, and social categorization is based on skin colour. On the second study, results show that Portuguese avoid to ascribe negative traits to Angolans, and that sometimes they describe the outgroup more positively than the ingroup. However, the traits concerning autonomy, competence and responsibility, which are the most positively valued on western societies, are denied to the dominated group. The representation of this group is still linked to ‘nature’.
TypeConference paper
DescriptionApresentação efectuada no Congresso Português de Sociologia, 5, Braga, 2004.
URIhttp://hdl.handle.net/1822/1987
Peer-Reviewedyes
AccessOpen access
Appears in Collections:CECS - Atas em congressos | Seminários / conference proceedings

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
rcabecinhas_lamancio_CPS_2004.pdf108,61 kBAdobe PDFView/Open

Partilhe no FacebookPartilhe no TwitterPartilhe no DeliciousPartilhe no LinkedInPartilhe no DiggAdicionar ao Google BookmarksPartilhe no MySpacePartilhe no Orkut
Exporte no formato BibTex mendeley Exporte no formato Endnote Adicione ao seu ORCID