Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/1822/19738

TitleRotas saudáveis para modos suaves
Author(s)Ribeiro, Paulo
Advisor(s)Mendes, José F. G.
KeywordsModos suaves (activos)
Rotas saudáveis
Mobilidade
Sustentabilidade
Poluição atmosférica
Ruído
Active (soft) modes
Healthy routes
Mobility
Sustainability
Air pollution
Noise
Issue date12-Dec-2011
Abstract(s)Reconhece-se actualmente que o automóvel tem dominado as deslocações em meio urbano, de tal forma que as cidades têm sido concebidas em função dessa utilização, com claras desvantagens para outros modos de transporte. A integração de princípios de sustentabilidade no desenvolvimento urbano preconiza a diminuição da influência do transporte motorizado individual e, consequentemente, a promoção da utilização do transporte colectivo e dos modos suaves. Os modos suaves de transporte podem ser definidos como meios de deslocação e transporte a velocidade reduzida, que ocupam pouco espaço na via pública e não emitem poluentes atmosféricos nem ruído, sendo encarados como uma mais-valia económica, social e ambiental, e uma verdadeira alternativa ao veículo automóvel. A promoção da mobilidade suave tem incidido na criação de novas infraestruturas e no reforço da segurança de circulação. Dadas as suas características, a dimensão ambiental não deve servir apenas de justificação para a sua promoção, mas ser um factor decisivo e activo no âmbito da sua utilização efectiva. Esta tese tem como principal objectivo o desenvolvimento de um modelo de planeamento e geração de rotas em meio urbano. Os planeadores de rotas convencionais são maioritariamente concebidos para a realização de viagens em automóvel e têm como principal função encontrar o caminho mais curto, mais rápido ou menos dispendioso. Neste trabalho, será apresentado o modelo para a geração da melhor rota para os peões e ciclistas do ponto de vista ambiental, através da definição do caminho menos poluído, menos ruidoso e mais saudável. Tendo por base a produção de mapas de poluição sonora e atmosférica de longo prazo, o modelo propõe a contaminação das distâncias da rede, que por sua vez são utilizadas na determinação das rotas saudáveis. A validação do modelo realiza-se através do cálculo dos índices de exposição ao ruído e poluição para as rotas encontradas, em comparação com os da rota mais curta. A utilização de percursos mais saudáveis pode ser encarada como uma questão de saúde pública e da garantia da aplicação dos princípios base da sustentabilidade.
It is widely acknowledged that cars have dominated travels in the urban environment. As a result, cities have been designed to comply with such usage, with clear disadvantages towards other modes of transport. The integration of sustainability principles to urban development comprises the reduction of the influence of individual motorized traffic and, consequently, the promotion of the use of public transport and of active (soft) modes. Active modes of transport can be defined as means of travel and transportation at low speed, which take up little space on the road, are air and noise non-pollutant, thus being regarded as economically, socially and environmentally valuable, and a real alternative to cars. The promotion of soft mobility has focused on creating new infrastructures and in strengthening circulation safety. Given its characteristics, the environmental dimension should serve not only as a reason for its promotion, but also as an active and decisive factor in its effective usage. The main objective of this thesis is the development of a planning and route generation model in urban areas. Conventional route planners are mainly designed for car trips and the main function is to find the shortest, fastest or least expensive route. In this work, the model to generate the best route for pedestrians and cyclists from the environmental point of view will be presented, through the definition of the less polluted, less noisy and healthier route. Based on the production of long-term noise and air pollution maps, the model propose the contamination of distances in the road network, which in turn are applied in the determination of the healthy routes. Model validation is carried out by calculating the exposure rates to noise and pollution in the obtained routes, in comparison with the shortest route. The use of healthy routes can be viewed as a matter of public health, whilst ensuring the implementation of the basic principles of sustainability.
TypeDoctoral thesis
DescriptionTese de doutoramento em Engenharia Civil
URIhttp://hdl.handle.net/1822/19738
AccessRestricted access (UMinho)
Appears in Collections:BUM - Teses de Doutoramento
C-TAC - Teses de Doutoramento

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
TD_PauloRibeiro.pdf
  Restricted access
25,08 MBAdobe PDFView/Open

Partilhe no FacebookPartilhe no TwitterPartilhe no DeliciousPartilhe no LinkedInPartilhe no DiggAdicionar ao Google BookmarksPartilhe no MySpacePartilhe no Orkut
Exporte no formato BibTex mendeley Exporte no formato Endnote Adicione ao seu ORCID