Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/1822/17524

TitleDificuldades de aprendizagem : compreender o fenómeno a partir de sete estudos de caso
Author(s)Martins, Ana Paula Loução
Advisor(s)Correia, Luís de Miranda
Hallahan, Daniel P.
KeywordsDificuldades de aprendizagem
Portugal
EUA
Programa Naturalista
Métodos qualitativos
Learning disabilities
Naturalist paradigm
Qualitative methods
Issue date2006
Abstract(s)Este trabalho tem por finalidade contribuir para a sistematização e o aprofundamento do conhecimento que existe em Portugal sobre o campo das dificuldades de aprendizagem. Estudei as transformações educativas observadas ao longo do tempo, a terminologia, as definições, os critérios de identificação, o apoio a prestar aos alunos, as perspectivas internacionais que predominam e os desafios que se apresentam ao campo. Influenciada pelo paradigma naturalista, tal como defendido por Lincoln e Guba, desenvolvi uma investigação básica que assentou nas realidades percepcionadas de sete profissionais doutorados que leccionam, investigam, fazem clínica e escrevem sobre dificuldades de aprendizagem. Os dados foram recolhidos através de entrevistas parcialmente estruturadas, de resposta aberta, e de análise de documentos. O conhecimento adquirido é sintetizado, primeiro, sob a forma de sete estudos de caso, nos quais apresento factualmente as perspectivas individuais dos participantes, utilizando o mais possível a sua voz. Depois sob a forma de cruzamento dessas perspectivas, traço as diferenças e as similaridades entre os participantes e interpreto e discuto, à luz da investigação e do debate internacional, as suas perspectivas enquanto grupo. Por fim, este conhecimento é sistematizado sob a forma de conclusões. De acordo com os resultados deste estudo, o campo das dificuldades de aprendizagem em Portugal, visto através das perspectivas dos participantes, evidencia escassa progressão devido à ausência de envolvimento governamental e de defesa dos direitos dos alunos, à supremacia das teorias de ensino que valorizam a maturação e o construtivismo e a determinadas características da população portuguesa. O termo dificuldades de aprendizagem é polissémico e sinonímico, tendo associado três conceitos, cinco termos sinónimos e seis possíveis combinações de critérios de identificação. É consensual que a identificação dos alunos com dificuldades de aprendizagem deve ter por base o sentido clínico dos profissionais e a participação dos pais. Existe falta de consenso em relação ao estatuto legal da definição de dificuldades de aprendizagem, unanimidade quanto à necessidade de apoio especializado nas escolas, para beneficio dos alunos e da sociedade, e variância quanto à forma de conceptualização desse apoio. Esta dispersão na conceptualização do apoio aos alunos apresenta pontos de discordância e pontos de concordância. Os desacordos são relacionados com o local onde o apoio é proporcionado, com quem deve ser responsável por o organizar e o prestar e com o tipo de formação dos profissionais envolvidos. Os consensos referem-se ao facto de, apesar de o professor titular de turma ter uma função primordial no apoio, não poder sozinho lidar com a diversidade da turma, de ser difícil prestar uma intervenção específica individual na sala de aula, e de ser necessário que especialistas colaborem nesse apoio. Como desafios para o futuro, os participantes indicam a formação, a conceptualização do apoio aos aluno nas escolas, a investigação, a produção de materiais, testes e programas, a consciencialização social e política, a desconstrução de modelos tradicionais de conceptualização das dificuldades de aprendizagem, o aumento da responsabilidade do sistema educativo no que respeita o sucesso dos alunos e a disseminação de informação científica. No global, as perspectivas dos participantes permitem-me concluir que em Portugal, embora com diferentes designações, as dificuldades de aprendizagem são reconhecidas como um fenómeno real, que a sua identificação é conceptualizada mediante a utilização de um modelo clínico e que o apoio aos alunos é considerado necessário, embora conceptualizado de diferentes formas. Paralelamente, conclui-se a existência de um campo no qual subsiste a supremacia da teoria e do científico sobre o político, o social e o educativo, e onde é pertinente a criação de um Instituto Português para o Estudo das Dificuldades de Aprendizagem, que promova e assista a investigação e a disseminação dos seus resultados, bem como a advocacia.
With this study I intend to contribute to the systematization of the existing knowledge in the field of learning disabilities’ in Portugal and to add to that knowledge. Therefore, influenced by the naturalistic paradigm, I developed research based on the multiple realities of a purposive sample of seven educational theorists who teach, research, conduct clinics, and write about learning disabilities. Using partially structured open-ended interviews and documents as data gathering sources I addressed themes that included the evolution of the learning disabilities field, terminology, definitions, the identification criteria to be used, educational services’ delivery conceptualization, the international perspectives that may be influencing the national field, and future challenges. The knowledge I obtained from this data collection was analyzed and then synthesized and reported in order to reflect the themes of the study. First, in a seven case studies format, which were written in a factual analytic level using, as much as possible, the natural language of the respondents. Second, in a cross case format, in which I pointed similarities and/or differences between participant’s perspectives and interpreted it within the international research and debate context. Finally, I present the conclusions to reflect what I found and had to say in what concerns the knowledge gained about the field of the learning disabilities in Portugal. The results of this study suggest that the learning disabilities field in Portugal has had a small evolution due to lack of involvement by governmental and parental and/or professional advocacy groups, the supremacy of the constructivist conceptual model, the use of the developmental theory in our schools, and a permissive cultural pattern. It also shows that the learning disabilities term has associated five synonyms terms and three types of concepts, and that there are six different combinations of students’ identification criteria. There is consensus that the identification must be based on clinical judgment with parental participation, instead of qualitative measurements based on cutoff criteria. There is not agreement concerning the legal status for a definition, but all the participants support the need of services for students with learning disabilities, due to benefits for them and to the society. However, there is variance in this service delivery conceptualization. Specifically there is disagreement on the environment where the service must be delivered, on who must be responsible for the service delivery, and on teacher preparation. There is agreement that although the regular teacher has primary participation in the service delivery, she or he can not alone deal with the class diversity, that it is difficult to individualize an intervention for students with learning disabilities in the classroom environment, and that specialists are needed in intervention. The participants indicated the following challenges for the learning disabilities field in Portugal: to improve teacher preparation, to conceptualize a service to support students with learning disabilities in schools, to produce research, materials, tests, and programs, to increase social and political concern for students with learning disabilities, to deconstruct traditional models of understanding learning disabilities, to provide a more responsible educational system when concerning students with learning disabilities, and to produce and disseminate scientific information. At the conclusion of this study, I found that all the participants view learning disabilities as a real phenomenon, that the proposed identification process is based on clinical judgment, that all agree on the need for support for students with learning disabilities, and that there is no agreement on how these support should be organized. Furthermore, the findings show that the learning disabilities field is more theoretical than political, social, or educational, and that there exists the need for a Portuguese Institute for the Study of Learning Disabilities.
TypedoctoralThesis
DescriptionTese de doutoramento em Estudos da Criança (ramo de conhecimento em Educação Especial)
URIhttp://hdl.handle.net/1822/17524
AccessopenAccess
Appears in Collections:CIEd - Teses de Doutoramento em Educação / PhD Theses in Education
BUM - Teses de Doutoramento

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Martins, A.P.L. (2006).pdf2,71 MBAdobe PDFView/Open

Partilhe no FacebookPartilhe no TwitterPartilhe no DeliciousPartilhe no LinkedInPartilhe no DiggAdicionar ao Google BookmarksPartilhe no MySpacePartilhe no Orkut
Exporte no formato BibTex mendeley Exporte no formato Endnote Adicione ao seu Currículo DeGóis