Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/1822/14807

TitleAvaliação da actividade antioxidante dos ácidos úrico e ascórbico pelo método RACE
Author(s)Oliveira, Raquel
Yilmaz, Pinar
Yavas, Pinar
Geraldo, M. Dulce
Bento, M. Fátima
KeywordsCapacidade antioxidante
Método RACE
Electrólises a potencial controlado
Radicais livres
Issue date2011
Abstract(s)Os antioxidantes desempenham um papel importante na prevenção e tratamento de doenças relacionadas com o envelhecimento, sendo por isso muito usados em produtos farmacêuticos, suplementos dietéticos e cosméticos. Numerosos estudos têm sido desenvolvidos no sentido de estabelecer os mecanismos de acção destas substâncias [1], determinar a actividade antioxidante de compostos [2] e definir índices de capacidade antioxidante de alimentos e amostras biológicas [3]. Na determinação da capacidade antioxidante através de testes químicos e biológicos é comum o uso de oxidantes fortes, espécies reactivas de oxigénio (ROS) ou espécies reactivas de azoto (RNS) geradas in situ [1]. A simulação do ataque oxidativo destas espécies e a monitorização da reactividade dos antioxidantes por métodos electroquímicos serviu de base ao desenvolvimento de um método que dispensa a utilização de reagentes específicos [4]. Este método denominado Reducing Antioxidant Capacity Evaluated by Electrolysis (RACE) foi desenvolvido recentemente no nosso grupo e foi testado em antioxidantes e misturas de antioxidantes relevantes do ponto de vista alimentar como os polifenóis. Neste trabalho, é feita a aplicação deste método a compostos com reconhecida acção fisiológica no combate ao stress oxidativo. São estudados os antioxidantes hidrossolúveis mais abundantes no nosso organismo, como o acido ascórbico e o ácido úrico. Estes antioxidantes são caracterizados tanto por técnicas voltamétricas como através do método RACE. A resposta dos antioxidantes ao ataque simulado das espécies H2O2 e O2▪- será avaliada através da monitorização do consumo destes antioxidantes por técnicas cromatográficas e electroquímicas. Agradecimentos: Fundação para a Ciência e Tecnologia (Portugal) pela bolsa de doutoramento da Raquel Oliveira (SFRH/BD/64189/209). Referências [1] R. Kohen, A. Nyska, Toxicol. Pathol., 6 (2002) 620-650. [2] S. Fujisawa, T. Atsumi, Y. Kadoma, H. Sakagami, Toxicology, 177 (2002) 39-54. [3] A.J. Blasco, M.C. Rogerio, M.C. González, A. Escarpa, Anal. Chim. Acta, 539 (2005) 237-244. [4] R. Oliveira, J. Marques, F. Bento, D. Geraldo, P. Bettencourt, Electroanalysis, 23 (2011) 692-700.
TypePoster
URIhttp://hdl.handle.net/1822/14807
Peer-Reviewedyes
AccessOpen access
Appears in Collections:CDQuim - Comunicações e Proceedings

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
AA UA SPQ 2011.pdf944,58 kBAdobe PDFView/Open

Partilhe no FacebookPartilhe no TwitterPartilhe no DeliciousPartilhe no LinkedInPartilhe no DiggAdicionar ao Google BookmarksPartilhe no MySpacePartilhe no Orkut
Exporte no formato BibTex mendeley Exporte no formato Endnote Adicione ao seu ORCID