Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/1822/12660

TitleImagética de crianças do Norte de Portugal sobre o seu quotidiano : terapia vivencial de imagens mentais, conversações e desenhos
Author(s)Cruz, Judite Zamith
KeywordsImagens mentais
Representações
Scripts/roteiros
Meninas
Bem-estar subjectivo
Mental images
Representations
scripts/frames
Girls
Subjective well-being
Issue dateMay-2010
PublisherAssociação para a Investigação e Desenvolvimento Sócio-Cultural (AGIR)
Abstract(s)Desde 2000, a intenção central ao Estudo de Caso é intervir por prevenção primária nos contextos não escolares, no Norte de Portugal, por prestação de cuidados no âmbito psicoeducativo: O processo de educação de crianças e pais acerca da terapia e de descobertas de investigação ligadas aos seus problemas ou perturbações. Nesse sentido, temos vindo a escutar crianças, individualmente, vivendo realidades mais duras. Concebeu-se como um script (roteiro) o evento antecipado por todos como prazenteiro (ou não) e cerca de 90 meninas, de 5 a 10 anos, desenharam «Estou contente, quando… recebo prendas,... faço anos,... é Natal, ... a minha família está junta,... o meu pai vem de França... »; «Às vezes, fico triste, porque… chove muito,... ‘trovou-a’, ... a minha mãe berra-me,... os meus pais não me deixam ver televisão...». Pretendeu-se criar condições em que fosse revertida a experiência negativa, sabendo-se que, na literatura sobre a lateralidade cerebral, o gerador da imagística/imagética se situa na parte posterior do hemisfério esquerdo do cérebro. Escolheu-se questionar visualizações e imagens mentais na infância, com base na percepção e memória intersubjectiva heterogéneas. Utilizaram-se estratégias vivenciais para imagens mentais com dois objectivos: (1) activar emoções de experiências a cognições; e (2) reparar «maus» momentos. Partiu-se também da concepção neuropsicológica de que emoções são «cognitivos» (para o SNC) mas não são «respostas cognitivas», podemos aprender a criar emoções por cima das reacções fisiológicas. Pretendemos apresentar novos dados de estratégias de coping, debatidos roteiros, cenários e estereótipos, por estratificação sócioeconómica, etária, de género: cenários para festas, baptizados e casamentos, mas também castigos e agressões por adultos, solidões e negligências, sem que a escola a experiência central.
Beginning in 2000, the main focus of the current Case Study is to act in primary prevention non-school contexts, in northern Portugal, by providing psychoeducation care: The process of educating clients about therapy and research findings pertaining to their problems or disorders Pursuing that goal, we have been listening children, individually, living harder realities. We conceived as a script (frame), an happy event and approximately 90 girls, within the ages of 5 to 10, wrote “I’m happy when… I receive gifts, ... it’s my birthday,... it’s Christmas, ... my family is all together,... my father comes back from France”; “some times I get sad because … it rains a lot, ... it thunders,... my mother scream at me,... my parents don’t allow me to watch TV (…)” The main objective was to create conditions to revert the negative experience, knowing that, according to the literature on the cerebral lateralization, the generator of imagery is situated in the rear left hemisphere of the brain. We chose to question visualisations and mental images in childhood, based on the perception and in the intersubjective heterogeneous memory. Experimental strategies were used for mental images with two goals: (1) to activate connected emotions experiences to cognitions; and (2) to repair bad moments. We know from the basic neuropsychological conception that emotions are “cognitive” (for the CNS), yet aren’t “cognitive responses”, from what we can learn how to create emotions over physiological reactions. We intend to present new data on coping strategies, once the scripts, scenarios and stereotypes are subject to debate, by age, gender and social-economical stratification: party scenarios, baptisms and weddings, as well as punishments and aggressions by adults, loneliness and negligence, not focusing the central experience on the school.
TypeConference paper
URIhttp://hdl.handle.net/1822/12660
Peer-Reviewedyes
AccessOpen access
Appears in Collections:CIEd - Textos em volumes de atas de encontros científicos nacionais e internacionais

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Imagética de crianças do Norte de Portugal sobre o seu.pdf217,04 kBAdobe PDFView/Open

Partilhe no FacebookPartilhe no TwitterPartilhe no DeliciousPartilhe no LinkedInPartilhe no DiggAdicionar ao Google BookmarksPartilhe no MySpacePartilhe no Orkut
Exporte no formato BibTex mendeley Exporte no formato Endnote Adicione ao seu ORCID