Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/1822/10558

Full metadata record
DC FieldValueLanguage
dc.contributor.authorRocha, Acílio da Silva Estanqueiro-
dc.date.accessioned2010-05-05T16:29:14Z-
dc.date.available2010-05-05T16:29:14Z-
dc.date.issued2010-
dc.identifier.citation“Razão e liberdade : homenagem a Manuel José do Carmo Ferreira”. Lisboa : CFUL, 2010. ISBN 978-972-8531-77-5. vol. 2, p. 1443-1466.por
dc.identifier.isbn978-972-8531-77-5-
dc.identifier.urihttp://hdl.handle.net/1822/10558-
dc.description.abstractCom o presente trabalho pretende-se mostrar como a obra de Jacques Lacan é tributária da filosofia de Hegel – o filósofo mais citado, depois de Freud, nos renomados “Escritos” do psicanalista francês – e, muito em especial, da “Fenomenologia do Espírito”. Foi o próprio Lacan que declarou: "É impossível à nossa técnica desconhecer os momentos estruturantes da fenomenologia hegeliana". Para além do persistente e apaixonado interesse de Lacan pela filosofia, ilustrado por inúmeras referências na sua obra aos grandes filósofos desde a antiguidade ao seu tempo, assistiu-se, na década de trinta do século XX, em França, a uma renovação dos estudos hegelianos sob o impulso de Jean Wahl, Alexandre Koyré, Éric Weil e Alexandre Kojève, que abriram caminho para ‘a geração dos três H’: Hegel, Husserl e Heidegger, em cujas leituras Lacan se inicia. Sem essa múltipla influência, a que deve acrescentar-se o influxo do estruturalismo, a obra de Lacan teria porventura permanecido prisioneira do saber psiquiátrico e de uma visão redutora da conduta humana. Na década de cinquenta Lacan convida mesmo Jean Hyppolite – o célebre tradutor para a língua francesa da “Fenomenologia do Espírito” de Hegel –, para o seu seminário, sendo incontornável o debate travado entre Hyppolite e Lacan sobre a “Verneinung” de Freud. De Hegel "fizemos a mola dinâmica da captura especular", condensa o testemunho de Lacan, dito na comunicação ao Colóquio Internacional de Filosofia sobre “Dialéctica” (Royaumont, 1960), a convite de Jean Wahl, precisamente intitulada “Subversão do sujeito e dialéctica do desejo no inconsciente freudiano”. É sobre o influxo hegeliano que versa o presente trabalho.por
dc.description.sponsorshipUniversidade de Lisboa. Faculdade de Letras (FLUL)por
dc.description.sponsorshipFundação para a Ciência e a Tecnologia (FCT)por
dc.language.isoporpor
dc.publisherUniversidade de Lisboa. Centro de Filosofiapor
dc.rightsopenAccesspor
dc.subjectLacanpor
dc.subjectHegelpor
dc.titleLacan no "estádio do espelho" hegelianopor
dc.typebookPartpor
Appears in Collections:CEHUM - Livros e Capítulos de Livros
CEPS - Publicações dos investigadores do CEPS

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Lacan_Hegel.pdf14,05 MBAdobe PDFView/Open

Partilhe no FacebookPartilhe no TwitterPartilhe no DeliciousPartilhe no LinkedInPartilhe no DiggAdicionar ao Google BookmarksPartilhe no MySpacePartilhe no Orkut
Exporte no formato BibTex mendeley Exporte no formato Endnote Adicione ao seu ORCID